Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Esportes - Copa do Mundo

Presidente da Fifa evita criticar Neymar mas acaba sendo traído por risada durante coletiva

Jornal do Brasil

MOSCOU - A Copa do Mundo acabou para Neymar, mas o camisa 10 brasileiro ainda rende muito assunto na Rússia. Perguntado sobre a participação do jogador no Mundial, que vem sendo duramente criticado por simular faltas ou exagerar na encenação das faltas marcadas, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, tentou ser diplomático mas foi traído por uma risada. “É um grande jogador. É um talento e quem me conhece sabe que quando estou diante de jogadores tão talentosos, que fazem o mundo sonhar, não posso dizer nada negativo sobre eles. Neymar é um desses”, afirmou o dirigente antes de fazer uma longa pausa, dar uma risada, para depois completar: “Bom... Tenho certeza que Neymar vai nos mostrar muito mais das suas reais habilidades no futuro”. Os jornalistas caíram na risada.

Infantino participou de coletiva para fazer um balanço do Mundial - o primeiro de sua gestão - que classificou como “o melhor da história”. O dirigente destacou a paixão com qual toda a Rússia viveu o torneio. “A Rússia mudou muito e se tornou um país do futebol, não apenas pela organização da Copa do Mundo, mas porque graças ao trabalho realizado, às infraestruturas criadas, o rendimento de sua seleção, o futebol faz parte, a partir de agora, do DNA deste país”.

Usando um agasalho de voluntário do Mundial, Infantino informou que a entidade máxima do futebol vai debater com os organizadores da Copa do Catar se a competição poderá ter 48 seleções. O aumento do número de participantes só estava previsto para a Copa de 2026, a ser disputada nos Estados Unidos, Canadá e México, mas a Conmebol fez um pedido formal para antecipar a medida para 2022. “Primeiro falaremos com os organizadores. Não há uma decisão definitiva ainda. No momento o Mundial de 2022 tem 32 equipes”, afirmou o dirigente.

Pouco antes do início da Copa da Rússia, o conselho da Fifa aprovou a análise da mudança, mas determinou que primeiro seria necessário negociar com a organização do Catar-2022.

Garantido mesmo é que a primeira Copa a ser disputada no Oriente Médio será realizada de 21 de novembro a 18 de dezembro de 2022, o que significa que todos os torneios, nacionais e internacionais, precisarão adaptar-se ao calendário. “As ligas da Europa e de todo o mundo estão informadas e terão que adaptar seus calendários”, explicou o presidente da Fifa. “É a decisão correta, porque não é possível jogar em junho e julho no Catar e os jogadores estarão prontos para fazer um grande Mundial, porque para eles será o início da temporada”, previu. 

O presidente da Fifa comentou a importância do papel da entidade. “No mundo falta capacidade de diálogo, entendimento, um pouco de respeito, e assim não podemos avançar. Se o futebol conseguir contribuir para este diálogo e para que aqueles que têm que tomar as decisões no mundo conversem, teremos conseguido algo”, afirmou.

-------

BRASILEIRO DESEJA SORTE A COLEGAS 

Depois de quase uma semana, Neymar voltou às redes sociais. Pelo Instagram, mandou mensagem de apoio para dois jogadores de França e Croácia que farão a grande final da Copa da Rússia. “Não nego, gostaria de estar com um de vocês dentro de campo, mas nesta Copa não deu. Fica para o Catar”, disse em texto dedicado ao francês Mbappé (seu colega de PSG) e o croata Rakitic, com quem jogou no Barcelona.



Tags: coletiva, copa do mundo, fifa, futebol, neymar

Compartilhe: