Jornal do Brasil

Sexta-feira, 20 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Esportes - Copa do Mundo

Bélgica goleia Tunísia e fica perto de vaga nas oitavas de final

Jornal do Brasil GUILHERME BIANCHINI (guilherme.bianchini@jb.com.br)

A ótima geração belga não está para brincadeira. Sem qualquer dificuldade, goleou a Tunísia por 5 a 2 e praticamente carimbou vaga nas oitavas de final da Copa. Disposta a construir uma larga vantagem desde o começo, a Bélgica abriu 2 a 0 em apenas 16 minutos. O jogo chegou a ficar um pouco mais equilibrado após Bronn descontar, quando os tunisianos se soltaram em campo. Mas o gol de Lukaku no último lance da etapa inicial devolveu a tranquilidade aos belgas, que permanecem na liderança do Grupo G, com seis pontos e saldo de seis.

O time belga já começou a mil por hora, querendo eliminar a chance de zebra desde o princípio. Depois de troca de passes envolvente, Hazard foi derrubado na risca da área e o árbitro americano Jair Marrufo assinalou pênalti, confirmado após consulta ao árbitro de vídeo. O próprio Hazard cobrou com categoria e abriu o placar, aos seis minutos, para fazer seu primeiro gol em Mundiais.

Estava fácil. Em erro da Tunísia no meio-campo, aos 16, Mertens acelerou a jogada e serviu Lukaku, que bateu rasteiro, no canto, para ampliar. Na primeira oportunidade tunisiana, dois minutos depois, Khazri cobrou falta para a área e Bronn subiu sozinho: 2 a 1.

O gol animou os africanos, que tentaram encarar os belgas de igual para igual. Na hora de sair trocando passes na saída de bola, no entanto, os erros (em excesso) quase sempre custavam chances claras ao adversário.

Em uma delas, aos 29, Witsel finalizou com perigo e a bola saiu em escanteio depois de desvio na zaga. Na resposta, aos 32, Khazri arriscou de longe e levou perigo a Courtois.

Ir para o intervalo com uma desvantagem de apenas um gol seria uma grande injeção de ânimo para a Tunísia, que já havia perdido dois defensores por lesão. Seria. Em mais uma saída de bola errada, dessa vez com Maâloul, Meunier tabelou com De Bruyne e deixou Lukaku na cara de Mustapha. O centroavante teve calma e categoria para dar leve toque de direita por cima do goleiro e se igualar a Cristiano Ronaldo na artilharia da Copa, com quatro gols.

Na volta para o segundo tempo, a Bélgica tentou repetir o início fulminante da etapa inicial. E deu resultado. Novamente aos seis minutos, De Bruyne deu grande lançamento para Hazard, e o camisa 10 ainda driblou o goleiro antes de tocar para o gol vazio e marcar o quarto.

>> Veja a tabela do Grupo G

Confortável com a goleada, o treinador Roberto Martínez começou a poupar seus principais jogadores. Em campo, a seleção belga passou a dosar seu ritmo e, consequentemente, diminuiu a frequência das jogadas de perigo. A Tunísia tentava responder como podia, mas esbarrava nas limitações técnicas.

Batshuayi, que entrou no lugar de Hazard, perdeu três oportunidades inacreditáveis, aos 31, 34 e 36. Mas ele ainda teve a quarta chance, e dessa vez aproveitou.

Aos 45, o atacante do Borussia Dortmund recebeu cruzamento preciso de Tielemans, que também havia entrado no segundo tempo, e bateu de primeira no canto esquerdo do goleiro. Recompensada pelo esforço de tentar jogar de igual para igual, a Tunísia ainda descontou aos 48. Khazri, camisa 10 e principal jogador da equipe, recebeu de Naguez e só escorou para dar números finais à partida.

Bélgica: Courtois; Alderweireld, Boyata e Vertonghen; Meunier, Witsel, De Bruyne e Carrasco; Mertens (Tielemans), Lukaku (Fellaini) e Hazard (Batshuayi).

Tunísia: Mustapha, Bronn (Naguez), Syam Ben Youssef (Benalouane), Meriah e Maâloul; Skhiri, Sassi (Sliti) e Khaoui; Fakhreddine Ben Youssef, Khazri e Badri.

Juiz: Jair Marrufo (Estados Unidos).

Cartão amarelo: Sassi.



Tags: copa 2018, copa da russia, copa do mundo, fifa, futebol

Compartilhe: