Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Esportes - Copa do Mundo

Com dois de Harry Kane, Inglaterra derrota Tunísia por 2 a 1 na estreia

Jornal do Brasil Guilherme Bianchini

A vida para as grandes seleções não está fácil na Rússia. Depois das principais favoritas não convencerem, a Inglaterra até jogou bem no primeiro tempo contra a Tunísia, mas sofreu além da conta para garantir uma vitória suada por 2 a 1, em Volgogrado, no fechamento da primeira rodada do Grupo G. O atacante Harry Kane, que já havia feito o primeiro gol, foi o herói do triunfo aos 46 minutos do segundo tempo. Atrás da Bélgica pelo saldo de gols, os ingleses agora enfrentam o Panamá, no próximo domingo, em Nizhny Novgorod. 

Só mesmo o futebol e a Copa do Mundo explicam o empate no primeiro tempo. Determinada a construir a vantagem, a Inglaterra se impôs desde o início e apresentou um futebol de altíssimo nível. Sem deixar a Tunísia respirar, já teve uma grande chance aos dois minutos. 

Dele Alli cruzou rasteiro e a defesa cortou antes da bola chegar em Sterling. Na sobra, Alli foi mais esperto e tomou a frente do defensor tunisiano para dar outro passe. O goleiro Hassen fez seu primeiro milagre ao defender com o pé o chute rasteiro de Lingard. No escanteio, Stones cabeceou para o chão e Hassen voltou a fazer boa intervenção. A bola aérea, por sinal, foi um terror para a Tunísia em toda a partida. 

Aos quatro, Sterling desperdiçou oportunidade inacreditável após Lingard deixá-lo livre e sem goleiro na pequena área. Depois de muita insistência, a seleção inglesa enfim abriu o placar, aos dez minutos. Novamente no jogo aéreo, Stones subiu mais alto e obrigou Hassen a fazer outro milagre. No rebote, porém, a bola caiu no pé do artilheiro, e Harry Kane não perdoou. 

De tanto trabalhar, Hassen machucou o ombro esquerdo e saiu do jogo aos prantos. O substituto Mustapha se mostrou atento na primeira vez em que foi exigido, em finalização forte de Henderson, de fora da área. Aos 23, Lingard recebeu livre de Young e errou o alvo. 

O primeiro susto da Tunísia foi aos 26, em erro de Maguire na saída. Aos 32, os tunisianos tiveram a chance que tanto queriam quando Walker deixou o braço no rosto de Fakhreddine Ben Youssef. Dois minutos depois, Sassi cobrou forte e rasteiro para deixar tudo igual. Pickford, que vinha sendo mero espectador do jogo, chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol.  

A Inglaterra ainda perdeu outras duas ótimas chances, com Stones e Lingard, antes do intervalo. E o árbitro Wilmar Roldán ignorou pênalti claro em cima de Kane. Esmorecida por tanto criar e a superioridade não se refletir no placar, a seleção inglesa voltou em ritmo menos intenso para a etapa final. Os cruzamentos para a área, que exploravam a fragilidade tunisiana nesse quesito, viraram o único recurso para criar situações de gol. E deu certo.

Já aos 46, Trippier bateu escanteio entre a marca do pênalti e a pequena área, Maguire desviou e Kane apareceu livre no segundo pau para dar a cabeçada que garantiu os três pontos para a Inglaterra, com mais sofrimento do que o esperado. 

Tunísia: Hassen (Ben Mustapha), Bronn, Syam Ben Youssef, Meriah e Maâloul; Skhiri, Fakhreddine Ben Youssef, Sassi, Badri e Sliti (Ben Amor); Khazri (Khalifa).

Inglaterra: Pickford; Walker, Stones e Maguire; Trippier, Henderson, Dele Alli (Loftus-Cheek), Lingard (Dier) e Ashley Young; Sterling (Rashford) e Kane. Juiz: Wilmar Roldán (Colômbia). 



Tags: copa, futebol, inglaterra, mundial, mundo, rússia, tunísia

Compartilhe: