Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

Ciúme argentino em campo

Jornal do BrasilMônica Francisco *

A hospitalidade brasileira é conhecida em todo o mundo, a carioca é lenda. Recebemos como ninguém, apesar de algumas falhas que são exatamente, não deveriam, mas são ou acabam sendo "pitoresquisadas".

E de situações pitorescas em  situações pitorescas vamos recebendo e fazendo nossa história como destino certo de quem quer estar em um verdadeiro "paraíso", com nossas paisagens, fauna e povo dos mais bacanas.

Com essa nova "invasão estrangeira" multifacetada por conta da Copa, algumas situações têm chamado a atenção, e para não dizer que não falamos de flores, é claro que  os protagonistas são eles, os históricos, lendários, e mais singulares e até engraçados rivais, os argentinos é claro.

Mônica Francisco
Mônica Francisco

Desde nossa maior rivalidade e que para nós é mais do que ponto pacífico e juramentado, a superioridade e majestade futebolística de Pelé, "el rei", ao atual suposto mito Messi, sabemos desde sempre, e provaremos, não chega a meio Neymar, estão lá, sempre no topo do ranking da "catimbação" e alvo de nossas maiores e melhores zoações.

Que a "marra" argentina fique somente na ilusão de terem uma seleção melhor que a brasileira. Que seja só no desejo de que Messi supere nossos craques maiores e que um dia em delírio de grandeza nós reconheçamos a suposta majestade de Maradona.

Episódios de ódio racial e violências não são o que queremos ver. Sabemos que eles não atravessam lá um bom momento econômico e também que sentem uma pontinha de ciúme de nós desde sempre. Tudo bem, termos uma fauna e uma flora deslumbrantes, sermos um povo, digamos, maravilhoso também, termos homens e mulheres lindíssimas.

Um povo negro maravilhoso e um tamanho continental, além de sermos amados pelo mundo todo, é um pouquinho chato né? Haja Buenos Aires e Caixa de bombom para quem não tem Rio de Janeiro e Maracanã!

Será que a questão é que na verdade eles queriam ser nós?

"A nossa luta é todo dia e toda hora. Favela é cidade. Não à GENTRIFICAÇÃO ao RACISMO, ao RACISMO INSTITUCIONAL, ao VOTO OBRIGATÓRIO e à REMOÇÃO!"

*Representante da Rede de Instituições do Borel, Coordenadora do Grupo Arteiras e Consultora na ONG ASPLANDE.

Tags: coluna, Francisco, JB, monica, texto

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • Milagros Pacheco

    Senhora Monica me desculpa mas a sua visão dos fatos está realmente longe da realidade.
    A senhora esta falando de episódios de ódio racial e violência. Sabe onde foram, quem protagonizaram esses fatos e porque? Parece que está formando uma opinião sem ter certeza de que os fatos que descreve tenham realmente ocorrido, já que não da detalhes de nenhum caso de ódio e/ou violência. A responsabilidade dos jornalistas é coisa seria, para falar por falar temos o resto da povo.
    Por exemplo, para falar sobre o que os argentinos pensam, seria logico falar com um deles. A quantos a senhora entrevistou? Quantas opiniões deles estão transmitidas nesse artigo? 0, nenhuma...
    A verdade está longe de ser reflexa nesse artigo. Os argentinos não sentem e nunca sentiram ciumes dos brasileiros. Os argentinos admiram Brasil, sua beleza natural e sua cultura. Os argentinos acham que o Brasil é modelo a seguir em muitas questões, incluso acham que o Brasil é bem melhor do que realmente é.
    Sabia que em argentina não existem publicidades contra os brasileiros? NENHUMA PUBLICIDADE contra os brasileiros, nem nesses tempos da copa? Aqui pelo menos já vi mais de 3. Fiquei surpresa com a quantidade de publicidades contra argentinos, mesmo sendo a maioria delas como "piadas" parece que influem bastante nos comportamentos sociais dos brasileiros. Também soube de casos de brasileiros que não querem trabalhar com argentinos, só pelo fato de ser argentinos.
    Dona Monica, a próxima vez que escreva um artigo, faça o favor de informar-se primeiro.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.