Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

A Rocinha quer água para lavar o Pezão. Tragam baldes e panelas!

A luta pelo saneamento na Rocinha e a mentira do governo na solução do problema

Jornal do BrasilDavison Coutinho

A luta pelo saneamento básico nas favelas de nossa cidade não é recente. Diversos grupos e lideranças lutam há muitos anos pelo respeito à saúde dos moradores de comunidades. No caso da Rocinha, essa luta já dura mais de 40 anos. Em uma recente pesquisa por vídeos, documentários e reportagens das décadas de 1960 e 1970, é possível ver que a luta é antiga.

Em conversa com lideres comunitários da Rocinha, vejo que a nossa luta e os problemas que enfrentamos se originaram há muitos anos, com lideranças que lutaram, morreram e não vivenciaram uma real transformação nesses espaços. Líderes que deixaram a vida na luta e na esperança de uma Rocinha melhor.

Veja vídeo de março deste ano com Pezão prometendo resolver o problema da água na Rocinha:

Estamos vivendo diversos problemas graves em nossa comunidade, e entre eles estão a violência e a falta de saneamento básico, que está gerando falta de abastecimento de água em diversas localidades. Em vista desse problema, moradores se organizam para realização de uma manifestação na próxima sexta feira (16/5), às 18 horas, na Autoestrada Lagoa- Barra.

“... Não esqueçam que o problema de abastecimento não está em simplesmente normalizar, pois nunca foi normal. O que acontecia era um jeitinho, manobra, para que todos pudessem ter um pouco de água. Era isto, e passamos acreditar que isto era regular. Gostaria de, mais uma vez, lembrá-los que a falta de água está ligada ao saneamento básico, que além da canalização e tratamento do esgoto é também abastecimento de água potável e regular, direito que não temos!”, desabafa Antônio Firmino, liderança comunitária e membro do projeto de museu Sankofa de memória da Rocinha.

"Água na Rocinha só se for mineral, porque na realidade a seca é geral. Estamos cansados de ouvir varias mentiras da Cedae... Pois se não falta água em São Conrado e nem no Leblon, porque temos que viver na seca do sertão?", questiona Rafael da Rocinha, liderança comunitária e um dos organizadores da manifestação.

O desrespeito e a falta ao direito básico da água nas residências já duram meses. O governador Luiz Fernando Pezão esteve na comunidade e prometeu publicamente melhorias em um prazo máximo de 40 dias. Segundo ele era o prazo necessário para conclusão das obras de uma elevatória que resolveria todo o problema de água na comunidade. No entanto, o prazo dado publicamente aos moradores já se esgotou, e continuamos sem água nas casas. 

* Davison Coutinho, 24 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel emdesenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio.

Tags: coluna, comunidade, JB, pauta, rocinha, texto

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.