Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

Transporte público na Rocinha: um caos cada vez maior na vida dos moradores

Jornal do BrasilDavison Coutinho

O dia a dia do trabalhador tem sido cada vez mais prejudicado pela situação precária de mobilidade na cidade do Rio de Janeiro. Chegamos a um ponto de caos total, com um trânsito congestionado e mal organizado que é ainda mais sacrificante devido às péssimas condições de transporte público oferecido a população.

Na Rocinha, o transporte está na lista top de reclamações dos moradores, as queixas são diversas: faltam ônibus, ou estão lotados, quebrados e quando chegam a determinadas partes da comunidade já não é possível entrar nos veículos que estão abarrotados de gente. A volta para a casa é ainda pior: a demora em pegar o ônibus aliada aos congestionamentos fazem com que esse retorno seja cada vez mais demorado. 

Davison Coutinho
Davison Coutinho

Os trabalhadores sofrem para ir e voltar do trabalho, nossas crianças e jovens ficam cada vez mais desestimulados em irem para escola, tendo em vista que esse trajeto tem sido muito difícil e faz com que os mesmos cheguem atrasados na escola e voltem para casa muito tarde. 

Em busca de melhorias no transporte público da Rocinha, os moradores foram em busca de soluções com o secretário de Transportes, Sr. Carlos Osório que já enviou por diversas vezes gente de sua equipe para analisar a nossa situação. No entanto, até hoje a Secretaria não teve competência ou respeito em trazer uma solução para os nossos problemas. O grupo Rocinha Sem Fronteiras convidou o secretário para dois debates na comunidade, o mesmo por duas vezes se comprometeu a ir, mas não compareceu à reunião. 

O secretário Carlos Osório esteve na Rocinha no ultimo dia 20 e prometeu, mais uma vez, que serão tomadas medidas para melhoria do transporte na comunidade.

É inacreditável que uma Secretaria de Transporte com tantos funcionários não tenha a capacidade de oferecer um transporte decente para os moradores de favela. É desumana a quantidade de gente dentro de um ônibus, ou esperando horas para poder fazer seus trajetos diários. Crianças não conseguem voltar da escola, idosos sofrem e os trabalhadores não suportam mais essa condição de transporte.

Vamos defender nossos direito e exigir respeito e dignidade com nosso povo, e vamos nos lembrar dessas figurinhas na hora das eleições!

*Davison Coutinho, 24 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio.

Tags: Artigo, comunidade, Coutinho, davison, JB, pauta

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.