Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

Governo atrasa quatro anos entrega de creche na Rocinha

Jornal do Brasil

O Governo do Estado do Rio de Janeiro se comprometeu no lançamento do PAC 1 a atender uma das maiores reivindicações dos moradores da Rocinha: a construção de uma creche digna para as crianças da comunidade, que até os dias de hoje, ficam nas filas esperando serem sorteadas para poderem ter acesso a educação, o que é um verdadeiro crime contra  a educação e contra as leis da constituição. O projeto foi lançado, maquetes, fotos, enfim, tudo que se possa imaginar de criativo para convencer o povo a reeleger o governador do Rio que estava se mostrando “preocupado” com as favelas.

A deslumbrante passarela foi inaugurada, as casas da entrada da Rocinha receberam pintura nova e o complexo esportivo, por ser localizado fora da comunidade é usado como propaganda. Enfim, todas as obras necessárias para uma maquiagem foram executadas. E a creche? A educação para os pobres, por não se tratar de prioridade para o nosso governador foi deixada de lado, foi abandonada, o local foi invadido e ficou por muitos anos servindo como deposito de entulhos e moradores de rua, a educação foi tratada como lixo.

A educação para as crianças é definida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), está na constituição de 1988 e é defendida pelo estatuto da criança e do adolescente. É do conhecimento de todos que a estimulação precoce das crianças contribui para o seu aprendizado e desenvolvimento futuro.

Agora, coincidentemente, ano de eleição, a creche será inaugurada, porém, as aulas no município já começaram há quase 1 mês e parte das crianças já foi matriculada em creches conveniadas ou particulares, o calendário escolar da Prefeitura já foi iniciado. E agora, creche para quem? Pelo visto será só mais uma inauguração mentirosa para fins de propaganda política.

“Não era pra ter lista de espera, o ano letivo já se iniciou, a creche está atrasada há mais de quatro anos. Não duvido nada de manobras por parte do governo para ativar a creche, seja fazendo transferência ou outras coisas. O fato é, terminaram uma creche em uma época boa para fazer propaganda política em ano de eleição. Acabou o tempo do povo burro, as entrelinhas da política nunca estiveram sendo acompanhadas tão de perto pela população.” Desabafa Dennis Neves, estudante e liderança comunitária da Rocinha.

Não podemos permitir que a educação para os moradores de favelas seja sempre tratada com desrespeito. De que adianta uma cidade maravilhosa que irá ser palco para grandes eventos e dentro dela, por trás dos cartões postais estão escondidas as desigualdades e a falta de oportunidades para os menos favorecidos. Sem a prioridade na educação e sem saneamento básico nas favelas, não adianta outros investimentos. Afinal, como disse um morador da Rocinha, “esquenta não que as crianças vão estudar no teleférico!”.

*Davison Coutinho, 24 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio. 

Tags: desigualdades, eleição, inauguração, investimentos, manobras

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.