Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

Pré-vestibular como caminho para um sonho

Jornal do BrasilWalmyr Jr*

Estamos iniciando mais um ano com horizontes cheios de expectativas. Digo isso por que após celebrar as vitórias de diversos jovens que entraram na universidade, assistimos a outras gerações que estão terminando o ensino médio e se animando com a ideia de entrar na universidade.

Vivemos um tempo de expansão universitária. A expectativa do Governo Federal é alcançar a abertura de 250 mil vagas de ingresso nas universidades federais e de 600 mil matrículas nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia nesse ano de 2014. Programas como o de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), Programa Universidade para Todos(Prouni) e recentemente as Cotas étnico-raciais sendo catalizadores para o ingresso acadêmico de jovens de todas as classes sociais. A importância destes avanços pode ser considerado como a plena inclusão social no ensino universitário no país.

A estudante do ensino Médio, Camylla Faci (17), descreve o que é poder realizar esse sonho: “a importância de fazer uma faculdade pra mim é que eu vou poder esta buscando realizar meu sonho e buscando aprendizado , fazendo alguma coisa boa pra mim e se eu conseguir chegar ate lá , dar uma vida melhor pros meus pais e pra mim também . Quero ser bem sucedida na profissão que escolhi pra mim e ser reconhecida por isso , então acho que a faculdade é a melhor forma de chagar ate lá !”

Na fala desta jovem acima vemos claramente a utopia de uma juventude cheia de projetos e realizações para cumprir. Surge apenas um problema: Jovens como Camylla, estudante de uma escola estadual, terão possibilidades de passar em uma prova do vestibular? Terá ela capacidade de fazer uma boa prova como o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)? Terá o estudante que frequenta a escola pública da periferia conseguir desfrutar dos programas oferecidos pelo Governo?

A alternativa que muitos encontram é se arriscar em um curso pré-vestibular, popularmente conhecido como cursinho. É um tipo de curso rápido realizado por estudantes brasileiros do Ensino Fundamental e Ensino Médio que estão próximos de prestar o vestibular. O famoso cursinho ‘pré-vestibular’ é a possibilidade de tampar o buraco ficado na má educação durante o ensino fundamental. O problema é que pagar um curso desses é muito caro. Um estudante gasta a média de R$ 200 a R$ 400 por mês. Enquanto o jovem busca completar seus sonhos, o negócio lucrativo dos cursinhos, oferecem uma margem de lucro altíssima em cima da ausência do Estado.

Para mudar o cenário, alguns movimentos sociais iniciaram a ideia do pré-vestibular comunitário. Esse curso tem como foco e principal objetivo dar condições a jovens de baixo poder aquisitivo meios de competir com jovens de classes sociais mais elevadas e que tem condições de pagarem cursos privados para concorrerem ao vestibular.

Segundo José Anibal, Morador da favela Marcílio Dias, O pré-vestibular tem várias vantagens. “é nele que acontece uma proximidade diferente que os professores tem com os alunos, tornam-se amigo geralmente e torcem juntos pelo ingresso do aluno. Tanto professor quanto o aluno sabem que este é um momento de grandes pressões para uns, para outros uma encruzilhada, um caminho para o futuro, logo ter seu professor como amigo é muito importante, até para tirar duvidas de profissões que só se conhece pelo nome.”

E continua “Para mim foi muito importante participar de um pré-vestibular comunitário, pois pude me preparar para o ingresso em uma universidade, não apenas em conteúdo didático, mas também em maturidade. Também acrescento como grande benefício a chance de fazer amigos que tinham o mesmo sonho que o meu e que até hoje participam de minha vida, desde professores a amigos de classe. Outro enfoque é o crescimento de visão política social, pois fazer parte de um grupo que trabalha para melhorar a sociedade através da educação faz com que você se reconheça como cidadão e te faça pensar como este novo cidadão poderá contribuir para sua sociedade, mesmo que seja com o mínimo, mas saiba que esta contribuindo”

José Anibal hoje é estudante de Engenharia de Produção na Universidade do Estado Rio de Janeiro (Uerj). Estudou no pré-vestibular da Redes  da Maré, na favela Nova Holanda. Que tal ajudar a outros Jovens como Aníbal a entrar na Universidade? Procure um pré-vestibular e seja um professor voluntário!

* Walmyr Júnior Integra a Pastoral da Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro. É membro do Coletivo de Juventude Negra - Enegrecer. Graduado em História pela PUC-RJ e representou a sociedade civil em encontro com o Papa Francisco no Theatro Municipal, durante a JMJ. 

Tags: a amigos, de classe, desde, MInha, professores, vida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.