Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Colunistas - Comunidade em pauta

Light e Cedae deixam os moradores de favela no calor

Jornal do BrasilDavison Coutinho*

O assunto mais comentado neste verão é o excessivo calor que os cariocas estão sofrendo, temperaturas de 40º e uma sensação térmica de 50º. Com todo esse calor a vida do morador de favela se torna ainda mais prejudicada pela constante falta de luz e agua em suas residências.

Davison Coutinho
Davison Coutinho

As casas nas favelas são majoritariamente pequenas e com pouca ventilação, a vida é bem difícil, já que nestes pequenos espaços moram grandes famílias, inclusive crianças e idosos. No entanto, para Light e Cedae esses aspectos em nada os sensibilizam e as empresas não providenciam a solução dos problemas de todas essas famílias.

Na Rocinha, na localidade conhecida como Rua 03 já são 13 dias sem luz, já na Rua 04 a falta de agua é constante e já são 10 dias sem um pingo de agua nas torneiras, ou seja, o Natal e entrada de ano na comunidade não foram nada fáceis. Após receber diversas reclamações entrei em contato com a Light que não apresentou nenhuma resposta para os problemas ocorridos no local.

Outro problema que preocupa são os postes que pegam fogo dentro dos becos, a Light é comunicada, porém só comparece quando o estrago já aconteceu. O perigo é grande para as casas que são todas aglomeradas e o risco de incêndio é ainda maior. A empresa de energia realizou um serviço mal feito e de risco no local deixando expostos diversos fios de alta tensão que foram cobertos pelos moradores.

Nas favelas da Maré o problema se repete semana passada a falta de luz e agua perturbaram a vida dos moradores do morro do Timbau, Nova Holanda e Baixa do Sapateiro. A light leva vários dias para consertar os problemas de energia. 

Light e Cedade, esperamos que os problemas sejam resolvidos e que as comunidades sejam tratadas com respeito que merecem.  Onde está o desenvolvimento, onde está a transformação e onde está o tratamento digno que merecemos?

*Davison Coutinho, 23 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio,  membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio.

Tags: a falta, da maré, Favelas, nas, o problema, passada, se repete, semana

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.