Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Coisas da Política

O general de chumbo e o fantasma do comunismo

Mauro Santayana

Não satisfeitos em mentir descaradamente, os golpistas que saíram às ruas, na semana passada — e não conseguiram  reunir  mais do que algumas dezenas de pessoas, em suas marchas, em três capitais brasileiras — resolveram agora partir diretamente para o  fake, a falsidade ideológica e a mais pura e simples fantasia.

Já há algum tempo circulam, na internet, cartas, textos e “diretrizes” atribuídas a  um certo general Mário Márcio Von Brenner, com acusações ao governo, movimentos populares e à Unasul.  

Segundo informações, plantadas aqui e ali na rede, o general Von Brenner — assim mesmo, com um certo “quê” de nostalgia nazista —  seria comandante de um pelotão “especial” de fronteira, e, portanto, da ativa. Nessas condições, fazer declarações políticas seria crime e levaria à  possibilidade de um quadro de grave crise institucional. Isso fez com que suas mensagens fossem rapidamente multiplicadas, em vários sites, de direita e de esquerda, até que alguém, em um site frequentado por militares da reserva, começou a questionar o fato de um general de exército estar, supostamente, no comando de um simples pelotão de fronteira; de seu uniforme parecer fantasia de guarda de banco, e de ele negar-se a identificar a unidade sob seu comando.    

Vejamos a mensagem do "general" Mário Márcio:

“Temos recebido informações diárias sobre a atuação deste governo a respeito de sua malfadada política externa, sobre a formação de grupos guerrilheiros em nossas fronteiras ao norte do país, sobre o planejamento de grupos espúrios para atuarem (sic) contra as nossas manifestações a partir do dia 22 de março, a aplicação de uma cartilha elaborada pela Unasul a fim de transformar o exército destes países num único exército na América do Sul.

Diante de toda esta situação, informamos que o Pentágono está acompanhando com preocupação o movimento político de toda a Unasul [União das Nações Sul-Americanas] No (sic) qual somos o país líder. Estamos preparados para enfrentar nos próximos meses a atuação deste governo e não mediremos esforços para colocar as nossas vidas a serviço do Brasil”.

Vejamos as diretrizes do “general” Mário Márcio:

 Destituição da presidente da República Federativa do Brasil;

 Instituição do Tribunal Militar para julgamento de todos os políticos, corruptos, subversivos, MST, Liga Campesina, ONGs comunistas, empresários sonegadores e simpatizantes das esquerdas (inclusive os Black Blocs);

 Fechamento do Congresso Nacional;

 Extinção de todos os partidos políticos;

 Julgamento de todos os militares envolvidos com a esquerda e que aceitaram cargos deste governo comunista;

 Extinção das redes de TV que foram compradas por este governo, bem como suas estações de rádios;

 Transferência da capital federal, onde Brasilia (Sodoma e Gomorra brasiliencie) (sic) será caso do passado, para uma cidade estratégica do sul do Brasil (não construiremos outra cidade);

 Extinção da Força Nacional de Segurança;

 Extinção de todos os ministérios criados pelo PT;

 Nomeação de Interventores estaduais que substituirão os atuais governadores;

 Toda a segurança pública ficará a cargo de uma pasta do Ministério da Defesa;

 O Ministério da Defesa terá como responsável da pasta somente um militar com todos os critérios exigidos.

Vejamos a fantasia do “general” Mário Márcio:

" A NOSSA HONRA É A LEALDADE."

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS:

Informamos a todos interessados que não coadunamos com a mudança do nome Batalhão Marechal Zenóbio da Costa para Batalhão Carlos Lamarca. Consideramos uma verdadeira afronta, foge aos princípios militares que norteam este batalhão que serviu de exemplos (sic) para as demais gerações que lá serviram.

Se tais ordens vieram da comissão da verdade, comunicamos que não conhecemos e nem aceitamos esta comissão mesmo instituída por lei, por se tratar de um grupo revanchista que tem um único objetivo – DESMORALIZAR O EXÉRCITO BRASILEIRO. Exigimos que se apurem os verdadeiros responsáveis pela mudança de nome e que todos sejam punidos exemplarmente pela justiça militar servindo de exemplo para todas as gerações seguintes. Que tais desidérios jamais serão praticados dentro da nossa instituição militar.

CONSIDERAMOS COMO OFICIAIS DA RESERVA UM DESRESPEITO AOS NOSSOS PRINCÍPIOS MILITARES, UMA DESONRA A QUEM SERVIU ESTA EGREGE UNIDADE MILITAR E UMA TRAIÇÃO AO EXÉRCITO E A PÁTRIA BRASILEIRA A QUEM SERVIMOS UM DIA.

Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2.013

Mário Márcio Von Brenner  Integrante da Organização ORDEM NEGRA NO BRASIL.

Quais são as mensagens do “general” Márcio Mário?

Que a Unasul está organizando um exército único, e comunista,  na América do Sul.

Que grupos de guerrilheiros tinham sido treinados para atacar as “marchas” convocadas pelos golpistas para o sábado passado.

Que há campos de treinamento das Farc em território brasileiro.

Que é preciso julgar todos os militares que aceitaram cargos neste governo “comunista”, ou seja, todos os oficiais das Forças Armadas, e a tropa a eles subordinada.

Que estão querendo trocar o nome do Batalhão Zenóbio da Costa por Batalhão Carlos Lamarca, o que é pura fantasia.

Que é que se pode perceber sobre do “general” Márcio Mário?

Que ele não é general e nem sequer serviu nas Forças Armadas, porque saberia que general não comanda pelotão  de fronteira.

Que ele é mal informado, caso contrário saberia que não se cogita, nem nunca se cogitou, trocar o nome do quartel Zenóbio da Costa.

Que ele está muito enganado, quando acha que vive em um país comunista.

O Brasil não é um país comunista, mas, na verdade, um dos mais fortes bastiões do capitalismo no mundo de hoje.

Mandamos mais de 25 bilhões de dólares, no último ano, em remessa de lucro para a  Europa e os Estados Unidos, ajudando esses países a saírem de suas sucessivas crises. Demos, para a Europa e os EUA, um lucro de mais de 10 bilhões de dólares, na balança comercial, em 2013.  

Brasileiros gastaram, no ano passado, 19 bilhões de dólares no exterior e mais de 3 bilhões de dólares somente nos dois primeiros meses deste ano.

O governo do PT emprestou, na última década, quase 250 bilhões de dólares para o tesouro norte-americano, transformando o Brasil no quarto maior credor individual externo dos EUA, o que contribui para financiar o déficit e a gigantesca dívida pública de seu teórico “arqui-inimigo” — o país mais capitalista do mundo.

A não ser que o “general” Mário Márcio acredite que o governo que aí está seja comunista por ter adiado uma visita de Estado aos EUA, porque, como ficou provado, nossas mais altas autoridades estavam sendo espionadas pelos norte-americanos, assim como milhares de empresas e cidadãos brasileiros.

Ou porque fez acordos com a França — um país ocidental, democrático, capitalista — para comprar e construir, no Brasil, submarinos convencionais e de propulsão atômica. Ou porque comprou fragatas da Inglaterra. Ou, talvez, porque tenha desenvolvido novos radares para o Exército, ou, quem sabe, porque encomendou 2 mil blindados leves desenvolvidos pela Força Terrestre, para serem construídos no Brasil.

Ou o seu comunismo tenha ficado provado no desenvolvimento da nova família de fuzis IA-2, 100% nacional, fabricada, pela Imbel, em Itajubá, ou, porque, finalmente, comprovando seu esquerdismo, tenha comprado da Suécia, um país reconhecidamente “radical” e “marxista”, a tecnologia, para desenvolver, em parceria, os 36 Grippen NG-BR que equiparão a nossa Força Aérea.

O que ocorre, hoje, no Brasil, é que se está confundindo, mais uma vez, pregar a quebra do Estado de Direito com fazer política. Todos temos — e tem havido momentos que beiram a agressão por parte tanto do governo como da oposição —– o direito de abusar, eventualmente, da emoção, no calor do embate político — desde que respeitadas as regras, começando pelo Artigo Primeiro, que reza:  “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”.

Não se pode, portanto, flertar, nem compactuar, com aqueles que defendem, sem qualquer pudor, como ocorre hoje, na internet, a volta da tortura, dos assassinatos, o fim da prerrogativa dos cidadãos brasileiros de escolherem seu futuro pelo voto e dos direitos e liberdades individuais.

Até porque, como vimos antes, há 50 anos, muita gente — civis e militares — que apoiaram no início a ditadura acabou sendo devorada por ela como fez Cronos com seus filhos.

Não existe alternativa à democracia a  não ser a barbárie, o caos, o pega pra capar, a guerra civil, o caos social e econômico, com a paralisia do Estado e da economia e o isolamento do Brasil do resto do mundo.

Como fake, o "general" Mário Márcio, no comando de um inexistente pelotão de fronteira, é tão inofensivo quanto um soldadinho de chumbo.

Como manobra de contrainformação, trata-se de desrespeito — para não dizer deboche — aos oficiais de verdade, que estão no comando da instituição; e de uma tentativa, infeliz, diga-se de passagem, de denegrir as  nossas Forças Armadas — com o intuito de subverter a ordem e de promover o ódio e a desunião no seio da sociedade brasileira.

Cabe agora, ao Ministério Público, com a ajuda da Polícia Federal, identificar e punir o autor da “brincadeira”.

Tags: democracia, exército, fake, fantasia, golpistas, mentir

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • cesar coelho cunha

    Eles são bastante democráticos. Basta pensar diferente deles que é subversivo? Ele fala sobre corruptos. Pois bem, o que ele falaria sobre a cria deles, o biônico Paulo Salim Maluf? Anos a fio nos corredores e eleito pela direita paulista... Quando foi mesmo que precisou responder por tudo que negava? Naquele governo? Nos governos neo-liberais? Ai falam: Se aliou ao PT em SP! Parece que o fez para se safar. No meu ponto de vista,mordeu a isca. É só ver o que a cria deles tem passado.Lamento que ainda tenhamos personagens com almas tão pesadas como o chumbo.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.