Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Ciência e Tecnologia

Após protestos, governo nomeia para presidência do ICMBio servidor com experiência na área

Jornal do Brasil ROGÉRIO DAFLON, rogerio.daflon@jb.com.br

A nomeação de Paulo Henrique Carneiro como novo presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), na quinta-feira, não chegou a ser comemorada pelos servidores, mas foi considerada um avanço pela sessão do Rio de Janeiro da Associação dos Servidores Federais da Área Ambiental do Ibama e do ICMBio. 

Houve muita revolta entre os servidores quando o Partido Republicano da Ordem Social (PROS) indicou para o cargo de presidente do instituto o distribuidor de bebidas Cairo Tavares de Souza. Protestos foram organizados em unidades de conservação de todo o Brasil. No Rio, o Parque Nacional da Tijuca teve acessos fechados, como os do Corcovado e da Floresta da Tijuca, no mês passado e este mês. Na semana passada, uma manifestação no Parque Lage, no Jardim Botânico, também cobrava critérios técnicos às nomeações. E, no feriado de Corpus Christi, o Parque Nacional de Itatiaia também fechou em alguns dias. 

Protesto de servidores do ICMBio no Corcovado: pressão de funcionários levou governo a desistir de indicação política para cargo de presidente

O novo presidente disse à reportagem do JORNAL DO BRASIL que já recebeu um documento de servidores pedindo que as nomeações sejam técnicas. “Foi uma carta de princípios com os quais eu concordo”, disse Paulo Carneiro: “Nosso objetivo aqui é a conservação da biodiversidade e proteção das populações tradicionais. Nas nossas unidades de conservação, temos mais de 60 mil famílias extrativistas, que fazem seu trabalho respeitando a natureza”.

Paulo Carneiro, ao assumir a presidência, disse que há progressos legislativos na questão ambiental, como a criação de unidades de conservação marítimas. Citou ainda as novas unidades de conservação que foram criadas, como o Boqueirão da Onça, a Área de Proteção Ambiental (APA) da Ararinha-Azul e o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) da Ararinha-Azul, na Bahia,  além de 400 mil hecatres de reservas extravistas no Maranhão, beneficiando mais de 13 mil famílias de pescadores artesanais e agricultores familiares da região. 

Currículo reconhecido

Paulo Carneiro era diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação no ICMBio, até ser nomeado como presidente esta semana. Sua experiência na área  foi ressaltada pelos servidores. Ele esteve à frente, por exemplo, do Parque Nacional de Brasília e foi coordenador-geral de Proteção Ambiental desse mesmo parque. Graduado pela Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (USP) em Engenharia Florestal, Carneiro tem mestrado em Ciências Florestais, também pela USP. Ele também integrou a a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná.



Tags: chico mendes, escândalo, icmbio, meio ambiente, presidente

Compartilhe: