Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Ciência e Tecnologia

Conheça os testes utilizados no Brasil para detectar presença do vírus da dengue

Exame para verificar contato com o vírus deve ser feito antes da vacina

Jornal do Brasil

No Brasil, três tipos de testes são utilizados para detectar a presença do vírus da dengue. São eles: Antígeno NS1, RNA PCR e anticorpos IgG e IgM – este último conhecido também como sorologia. 

O exame RNA PCR só pode ser realizado até o quinto dia após o início dos sintomas da doença. O teste detecta a presença do RNA (ácido ribonucléico, responsável pela síntese de proteínas da célula) do vírus no organismo dos pacientes. Ele é realizado através de um método conhecido como PCR (Reação em cadeia da polimerase), que amplifica o DNA, e consegue distinguir os diferentes tipos de dengue, que vão de 1 a 4. “A eficácia do exame só é comprovada do primeiro ao quinto dia de sintomas, depois disso, em alguns casos, até conseguimos fazer o diagnóstico até o décimo dia, mas um negativo, por exemplo, pode não ser 100% confiável. Por isso, é importante procurar o médico para solicitação do exame já nos primeiros sintomas de infecção, principalmente no caso de grávidas”, destaca Helio Magarinos Torres Filho, patologista clínico e diretor médico do Richet Medicina & Diagnóstico. 

Tabela ilustra as fases da doença e os exames indicados para detectar

Já a pesquisa pelo Antígeno NS1 pode ser realizada até o décimo dia de sintomas. Trata-se de uma glicoproteína que se torna presente em altas concentrações no soro de pacientes infectados pelo vírus da Dengue. Esse exame é conhecido como teste rápido, pois o resultado fica pronto logo após o teste. “Muitos estudos apontam que grau de sensibilidade do antígeno NS1 na fase aguda é em torno de 70%”, destaca Helio Magarinos Torres Filho.

O terceiro exame é a pesquisa por anticorpos imunoglobulina G (IgG) e imunoglobulina M (IgM). Esses anticorpos são produzidos pelo organismo quando entra em contato com algum tipo de agente invasor. O IgM positivo é um sinal de que a doença está em fase aguda, já o IgG reagente indica que o paciente teve a doença no passado. Por isso, pode ser realizado do momento dos primeiros sintomas e também após o décimo dia. “Mas vale ressaltar que em casos de infecção recorrente por outro tipo viral de Dengue, pode não ocorrer produção de anticorpos do tipo IgM”, alerta o especialista.



Tags: anticorpos, antígeno ns1 e rna pcr, diagnóstico, igg, igm, mosquito, saúde, segurança, sorologia

Compartilhe: