Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

Ciência e Tecnologia

Neste dia 23, data do "fim do mundo", especulações ganham força

Jornal do Brasil

Desde a primeira divulgação sobre o "fim do mundo" marcado para o próximo este dia 23 de setembro por alguns teólogos, astrólogos e ufólogos; uma série de tragédias naturais atingiram diversos locais espalhados pelo planeta. 

O furacão Harvey inundou Houston; o furacão Irma atingiu a Flórida, também nos Estados Unidos, e antes atingiu o Caribe, que também foi pego pelo furacão Maria. Recentemente o México foi alvo de dois terremotos, um de magnitude 8,2, e outro de 7,1. Até o Japão não saiu ileso, com um terremoto de 6,1 graus na escala Richter, a cerca de 300 quilômetros da cidade de Fukushima - devastada por um tremor e um tsunami em 2011.

Tudo isso somado as frequentes trocas de ameaças entre os presidentes dos EUA e da Coreia do Norte, no momento em que os norte-coreanos continuam a desenvolver e a propagandear seu arsenal nuclear em desafio às sanções e vetos da ONU.

Para alguns, acredita-se que o fim do mundo está próximo, enquanto outros acreditam que previsões para que o planeta tenha um fim não existem e tudo não passa de uma revelação ou mudança. Alguns críticos da teoria defendem que, condicionados com a notícia de um possível fim dos tempos, fica mais fácil enxergar sinais apocalípticos em todo lugar, porque são tragédias assustadoras, mas não é como se nunca tivessem acontecido. 

Teorias sobre o fim do mundo ganham força nas redes sociais
Teorias sobre o fim do mundo ganham força nas redes sociais

Teorias

Uma das teorias, que ganha força nas redes sociais, afirma que haverá uma explosão na sequência de uma colisão com um asteroide. De acordo com os profetas, o asteroide é invisível, e por isso não é possível vê-lo se aproximando com telescópios e sondas.

Em Planeta X – A Chegada em 2017, o autor numerólogo David Meade afirma que um planeta de outro sistema solar chamado Nibiru (ou Marduk, Hercolubus, Planeta X, Planeta Vermelho, entre outros) será visível na Terra exatamente nesta data. Este é o planeta que, segundo David, irá se chocar com a Terra. A ufologia, por sua vez, supõe que na passagem dos equinócios (o equinócio da primavera ocorre por volta de 20 de setembro no hemisfério sul) e solstícios ocorram na abertura de portais dimensionais, concretizando contatos extraterrestres. 

A astrologia explica que dia 23 de setembro deste ano haverá o alinhamento da Constelação de Leão, dos planetas Vênus, Marte e Mercúrio, do Sol dentro da Constelação de Virgem, do Planeta de Júpiter junto à estrela Spica e da Lua em fase minguante. Alguns estudiosos indicam que esse evento astronômico é um sinal dos céus e que estava descrito na Bíblia, em Apocalipse 12. Inclusive cristãos acreditam que é a data marcada para o retorno de Jesus Cristo à Terra. 

Pelo calendário grego, explica-se o fato de o ano 2017 ser um ano cabalístico (2+0+1+7 = 10, 1+0=1), ano de fins de ciclos e recomeço. E o ano 5777 pelo calendário hebraico, onde 5 é considerado o número da graça e 7 o completo, ou seja, 777, três vezes completo. Além disso, o 7 também é um número místico da Cabala, que significa a perfeição divina, como, por exemplo as 7 cores do arco-íris, os 7 chakras, os 7 pecados capitais, 7 dias da semana, 7 notas musicais, entre outros padrões.

Outro fato importante que a tradição astrológica demonstra é que em 2017 se inicia e Era de Saturno, onde a cada 36 anos um astro comanda e dissemina suas características durante todo o seu ciclo. De 1981 até 2016 a Terra esteve sob a Era do Sol. 

Certos ou errados, a data era aguardada com grande expectativa e entusiasmo.

Tags: apocalipse, astrologia, fim do mundo, furacoes, redes sociais, teorias, terremotos, teste nuclear, ufologia

Compartilhe: