Jornal do Brasil

Sábado, 1 de Outubro de 2016

Ciência e Tecnologia

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil

Conheça quem pode ajudar a fazer a diferença nesse quesito

Jornal do Brasil

Tema sensível no País, empreendedores veem na educação uma oportunidade dupla, que é criar um negócio escalável e atingir um grande número de pessoas interessadas em conteúdos didáticos.

O objetivo, porém, é um só: ampliar e democratizar o acesso à educação para estudantes de nível médio e superior.

Investidores também consideram o setor de educação como um dos mais atrativos para destinar recursos. Um levantamento chamado 'Lado A e Lado B – Startups', realizado pelo Sebrae-SP, mostrou que 30% buscam o segmento de educação para realizar investimentos, seguido por tecnologia (30%), saúde (27%), transporte/mobilidade urbana(20%) e serviços financeiros (17%).

Observando de perto como empreendedores estão inovando para facilitar o acesso à educação no Brasil, selecionamos cinco startups que estão fazendo a diferença nesse quesito. Veja abaixo:

Me Salva!

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. Proposta da plataforma 'Me Salva!' é complementar o conteúdo de alunos do ensino médio e superior.
Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. Proposta da plataforma 'Me Salva!' é complementar o conteúdo de alunos do ensino médio e superior.

Complementar o conteúdo de alunos do ensino médio e superior. Esse é o objetivo do jovem Miguel Andorffy, de 25 anos. Baseado na sua experiência em transmitir seus conhecimentos em disciplinas que os demais estudantes têm dificuldades, Andorffy criou o Me Salva!, uma plataforma educacional com vídeo-aulas, simulados, exercícios e outros conteúdos para auxiliar alunos. Criada em 2014, a startup já conta com mais de 70 milhões de aulas assistidas e espera atingir este ano 15 milhões de estudantes. Além das aulas de cálculo e matérias fundamentais, já presentes na plataforma, o Me Salva! espera aumentar a galeria com disciplinas específicas de saúde, administração e economia, além de aumentar seu corpo docente de 40 para 60 professores.

Passei Direto

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A startup 'Passei Direto' compartilha materiais acadêmicos.
Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A startup 'Passei Direto' compartilha materiais acadêmicos.

Compartilhar materiais acadêmicos. Esse é objetivo principal da startup Passei Direto. Fundada em 2012 pelos empreendedores André Simões e Rodrigo Salvador, a plataforma tem um funcionamento bastante simples. O estudante se cadastra primeiro com um e-mail e uma senha. Depois, informa o nome do curso e da universidade em que estuda. A partir daí, o próprio sistema da Passei Direto começa a recomendar grupos de estudos, amigos e materiais acadêmicos. Hoje, a plataforma conta com cerca de cinco milhões de universitários cadastrados, de todas a universidade do País, entre elas estão a Universidade de São Paulo, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Estácio e Anhanguera.

Stoodi

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A plataforma 'Stoodi' é voltada aos alunos do ensino médio e pré-vestibulandos.
Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A plataforma 'Stoodi' é voltada aos alunos do ensino médio e pré-vestibulandos.

Assim como o Me Salva!, o objetivo dessa startup também é complementar o conteúdo didático de alunos do ensino médio. Criada em 2013 pelo empreendedor Daniel Liebert, o Stoodi oferece uma plataforma intuitiva e acessível para facilitar a vida dos estudantes, tanto em fase pré-vestibular como também de ensino médio  que precisam de reforço. O conteúdo que a empresa disponibiliza, criado por professores selecionados, pode ser visto a qualquer hora, de qualquer lugar. Isso facilita o acesso do estudante às matérias que mais lhe interessa. O Stoodi já conta com 200 mil usuários cadastrados e 17,5 milhõe de aulas assistidas.

VP Concursos

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. Startaup 'VP Concursos' tem método de consultoria à distância via WhatsApp ou Skype.
Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. Startaup 'VP Concursos' tem método de consultoria à distância via WhatsApp ou Skype.

A estabilidade financeira e profissional do setor público é o objetivo de muitas pessoas que se prestam a realizar concursos públicos. Para ajudar nessa tarefa, o empreendedor e coach profissional Vincenzo Papariello criou uma startup com um método de consultoria à distância via WhatsApp ou Skype. Por meio da VP Concursos, Papariello ajuda concurseiros a se preparar da melhor forma para ser aprovado. O coach vai treinar esse concurseiro sobre o que se deve estudar, como estudar e que livros usar. Servirá como um guia para o caminho das pedras. Por ser a distância, o coaching está disponível a qualquer hora do dia, de acordo com as necessidades do candidato. Além de concursos públicos, a startup também quer ampliar a consultoria para os candidatos à prova da OAB.

Árvore de Livros

Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A 'Árvore de Livros' funciona como um Netflix de livros.
Cinco startups que querem democratizar o acesso à educação no Brasil. A 'Árvore de Livros' funciona como um Netflix de livros.

Criada em 2013 pelo empreendedor João Leal, a startup tem como objetivo tornar a leitura mais acessível. Funciona como um Netflix de livros — os usuários têm diversos títulos à disposição e podem acessar o conteúdo de qualquer dispositivo. O serviço ainda oferece relatórios para professores. A empresa permite que escolas, bibliotecas e empresas deem acesso a mais de 10 mil e-books aos seus alunos e/ou colaboradores por meio de suas próprias bibliotecas digitais personalizadas. Os leitores podem ler os e-books de qualquer dispositivo, a qualquer hora e sem nenhum limite ou fila de espera.

Tags: conteúdo didático, democratização, dicas, educação, Enem, ensino médio, ensino superior, estudos

Compartilhe: