Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Laboratório anuncia vacina para dengue que apresenta quase 70% de eficácia

Vacina experimental segue no princípio de 2015 para ser submetida à aprovação da Anvisa

Jornal do BrasilRafael Gonzaga*

Uma vacina experimental contra a dengue conseguiu reduzir em 60,8% a quantidade de casos da doença em um estudo feito com 20.875 crianças e adolescentes, entre 9 e 16 anos, da América Latina e do Caribe. Mais dados da vacina que vem sendo desenvolvida pelo laboratório Sanofi Pasteur deverão ser divulgados com mais detalhes durante o mês de novembro, durante o encontro anual da Sociedade Americana de Medicina Tropical e Higiene (ASTMH), nos Estados Unidos.

Esse resultado marca o encerramento da última fase de testes clínicos – a chamada fase três, única coisa que faltava para submeter a vacina à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para aguardar uma aprovação do órgão regulador. A submissão deverá ser realizada no princípio de 2015 e, caso aprovada, a intenção é disponibilizar a comercialização do medicamento até o fim de 2015.

>> 'Monitora Dengue' deverá ser usado em todo o estado até fim do ano

>> Casos de dengue sobem para 13,7 mil em São Paulo

O presidente da Sanofi Pasteur, Olivier Charmeil, lembrou nesta quarta-feira (3) que pela primeira vez na história a dengue está próxima de se tornar uma doença que poderá ser prevenida através de vacinação. “Os dados gerados a partir de nosso programa abrangente de pesquisa e desenvolvimento, que envolveu 40 mil crianças, adolescentes e adultos de 15 países, serão submetidos às autoridades de saúde nos países onde a dengue é uma prioridade de saúde pública”, afirmou.

A eficácia teria sido observada contra cada um dos quatro sorotipos de dengue. Para cada um dos sorotipos, o resultado foi diferente: a proteção foi de 50,3% no sorotipo 1, 42,3% no sorotipo 2, 74% no sorotipo 3 e 77,7% no sorotipo 4. A pesquisa, realizada entre junho de 2011 e abril de 2013, foi feita com crianças e adolescentes de áreas endêmicas da dengue no Brasil, Colômbia, México, Honduras e Porto Rico – só no Brasil, foram cerca de 3,5 mil participantes.

Os novos resultados positivos de fase três da América Latina são considerados muito encorajadores pelo professor Duane Gubler, fundador do programa de pesquisa em doenças infecciosas emergentes, da Escola Médica de Gradução Duke-NUS em Cingapura. “Juntos, os resultados desses estudos sugerem que, pela primeira vez, uma vacina que pode ajudar a controlar a dengue está no horizonte. Os especialistas científicos e de saúde pública estarão agora em condições de definir a melhor forma de implementar a vacinação contra a dengue de forma eficaz, com base na epidemiologia do país, no perfil da vacina e nas metas definidas pela OMS para reduzir  a carga da doença até 2020”, afirmou.

O perigo da dengue

A dengue é causada por quatro sorotipos diferentes de vírus transmitidos por mosquitos atualmente ainda não há um tratamento específico disponível para a doença. Para muitos países da América Latina e da Ásia, onde as epidemias ocorrem regularmente, esta tem sido uma prioridade de saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimaria que anualmente 100 milhões de infecções aconteçam – contudo, o número é apenas algo estimado.

Um dos principais problemas na identificação dos casos de dengue está muitas vezes em diagnósticos falhos, por conta da quantidade e da variação dos sintomas clínicos – visto que a doença se manifesta desde formas mais brandas até variações com complicações fatais. Além disso, muitas vezes as próprias limitações dos sistemas de vigilância dificultam no diagnóstico da doença. Aproximadamente 2,5% das pessoas infectadas pela dengue no mundo acabam morrendo.

Acredita-se também que 500.000 pessoas todos os anos com dengue grave precisem de hospitalização.  A dengue hemorrágica é uma complicação potencialmente mortal devido a desdobramentos da doença que levam ao sangramento grave e até mesmo à falência de órgãos. O acesso facilitado a cuidados de saúde adequados é algo considerado fundamental na redução do perigo de mortalidade em caso de dengue grave.

* Do programa de estágio do JB

Tags: AMÉRICA LATINA, brasil, Dengue, dengue hemorrágica, estudos, imunização, mosquito, testes, vacina

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.