Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Diretora da OMS afirma que mortos por ebola na África já somam quase 2 mil

Vírus teria matado 400 novas pessoas na última semana; número de casos chega a 3,5 mil

Jornal do BrasilRafael Gonzaga*

De acordo com as informações divulgadas pela diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, o número de mortos desde o começo do ano na África em função da atual epidemia de ebola já ultrapassa o número de 1,9 mil. Os casos totais confirmados já estariam em cerca de 3,5 mil, de acordo com o apontado por Chan nesta quarta-feira (3) em Washington, Estados Unidos.

As informações apontam para um avanço expressivo na taxa de mortalidade da epidemia. O último relatório divulgado pela OMS na última sexta-feira (29) apontava para 1.552 mortes - cerca de 400 novos óbitos teriam acontecido na última semana, o que aumentaria para cerca de mil mortos apenas no último mês. Os casos totais também teriam aumentado substancialmente: no dia 29, o total era de 3.069, e em uma semana, cerca de 500 novos casos teriam sido identificados.

>> Ebola: "Houve realmente uma demora na detecção da epidemia"

>> OMS apresenta 8 tipos de tratamento para o ebola

>> OMS diz que surto de ebola é ameaça global

>> Ebola deverá impactar acesso à alimentação em países infectados

>> Epidemia de ebola já matou 31 pessoas no Congo

Chan afirmou que a epidemia está avançando. Recentemente, a diretora-geral da OMS teria afirmado que o ebola se tornou uma ameaça mundial que necessita uma resposta mundial e que o surto ficaria ainda pior do que está antes de apresentar melhoras.

O número de mortos durante a atual epidemia já superou o total de mortes em todos os surtos anteriores e está sendo considerado por especialistas algo sem precedentes desde que a identificação do vírus em 1976. O surto mais grave teria sido o de 1976, com 602 casos e 431 mortes - muito inferior ainda aos números da atual epidemia.

Margaret Chan se disse esperançosa, apesar do avanço nos números de que a transmissão do Ebola seja contida entre os próximos seis e nove meses, havendo resposta internacional. Na Guiné, em Serra Leoa e na Libéria - onde o surto tem sido mais agressivo -, a intenção seria conseguir reverter a tendência de infecção nos próximos três meses.

Para o Senegal e a República Democrática do Congo, ambos com casos isolados de ebola, a intenção é já conter a transmissão localizada dentro de dois meses.

* Do programa de estágio JB

Tags: Congo, ebola, guiné, libéria, mortos, NIGÉRIA, organização mundial da saúde, senegal, serra leoa

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.