Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Campanha alerta para alto número de mortes por doenças cardiovasculares

Doenças como infarto, derrame ou insuficiência cardíaca são a causa de um terço das mortes no mundo

Jornal do BrasilRafael Gonzaga*

As estatísticas alarmantes relacionadas às mortes por doenças cardiovasculares no Brasil levaram o Instituto Lado a Lado a promover durante todo o mês de setembro um movimento de conscientização chamada Setembro Vermelho, como parte da campanha nacional “Siga Seu Coração e Tome Uma Atitude”. As doenças cardiovasculares vêm sendo as responsáveis por 33% de todas as mortes no país. De acordo com o estudo sobre a Carga Global da Doença feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado no início de 2014, a cada minuto alguém no mundo morre vítima de doenças cardiovasculares. Os gastos com essas doenças estão estimados em mais de US$ 850 bilhões.

A presidente do Instituto Lado a Lado Pela Vida, Marlene Oliveira, conta que a campanha surgiu após o instituto, focado na humanização da saúde, receber quase 270 emails solicitando informações sobre doenças cardiovasculares. A maioria dos remetentes eram mulheres. “Era uma solicitação que não poderíamos deixar de lado. Pesquisamos, consultamos médicos e ficamos muito preocupados com as informações colhidas. As doenças do coração matam duas vezes mais que o câncer e, no mundo, a cada minuto alguém morre vítima de doenças cardiovasculares”, conta.

O cardiologista Ricardo Mourilhe, vice presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro, ressalta a importância das campanhas de conscientização. Para Mourilhe, a conscientização é o primeiro passo. “As doenças cardiovasculares têm merecido isso há muito tempo, é um sinal de amadurecimento da nossa população. São doenças estão como primeira cauda de morte no país e representam um terço das mortes aqui. E nesse um terço temos basicamente três pontos: o infarto agudo do miocárdio, o derrame e a insuficiência cardíaca – estando essa última no topo das causas de hospitalização”, alerta.

Marlene conta que o foco da campanha está em estimular a mudança de hábitos na população. “Não é nada radical. Queremos que a população comece a ter hábitos saudáveis como diminuir quantidade de sal e açúcar nos alimentos, fazer pelo menos 30 minutos de caminhada três vezes por semana, retirar alimentos gordurosos do cardápio”, enumera.

No Brasil, morrem cerca de 70 mil pessoas por ano por conta de infartos, por exemplo. Mourilhe explica que o alto índice em mortes por conta de doenças cardiovasculares também está relacionado com o estágio de desenvolvimento econômico do país. Segundo o médico, doenças cardiovasculares costumam ser a principal causa de mortes em países em desenvolvimento. Em países mais pobres a principal causa de morte seriam as doenças infecciosas e nos países desenvolvidos, seria o câncer quem lideraria o número de mortes.

Mourilhe explica que em países em desenvolvimento os fatores de risco para doenças cardiovasculares estão mais exacerbados por conta do contexto socioeconômico – são locais onde existe mais gente que fuma, mais diabetes e mais descontrole do colesterol, por exemplo. “Do ponto de vista econômico, você tem gastos públicos e privados muito altos por conta dessas doenças, o que é muito grave se você pensar que alguns dos fatores de risco são muito fáceis de serem controlados e até mesmo retirados – como é o caso do fumo – se você tivesse campanhas para o controle desses fatores. Um terço é muita coisa, do ponto de vista estatístico é muito impactante”, aponta.

Entre outras ações planejadas pela campanha, estão a distribuição de material informativo nos pedágios da CCR Nova Dutra durante todo o mês de setembro. Nas estradas serão feitas também mutirões de saúde dentro do Projeto Estrada para a Saúde. Serão feitas também palestras sobre doenças cardiovasculares abertas à população no Hospital Beneficência Portuguesa. A campanha prevê ainda palestras em empresas

Além do Cristo, que será iluminado de vermelho no dia 29, os Hospitais São Joaquim e São José, da Beneficência Portuguesa de São Paulo também serão iluminados durante todo o mês. A primeira ação de iluminação em estádios será feita no próximo domingo (7), durante o jogo Bahia x Curitiba no Arena Fonte Nova pelo Campeonato Brasileiro. O Maracanã também será palco da campanha no próximo dia 14, durante o jogo Palmeiras x Flamengo. Além da iluminação, será feita também uma intervenção no campo com faixas durante os dois jogos.

'Go Red For Women'

No dia 29 de setembro se comemora o Dia Mundial do Coração e de acordo com a presidente do Instituto Lado a Lado Pela Vida, Marlene Oliveira, atividades relacionadas ao tema serão desenvolvidas durante todo o mês. No dia 29, inclusive, vários monumentos do país serão iluminados, além de estádios esportivos. Além disso, Marlene conta que está sendo feita uma campanha em algumas empresas pedindo para que pessoas usem uma peça de roupa vermelha na data.

O cardiologista Ricardo Mourilhe, vice presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj) lembra que nos Estados Unidos já existe há praticamente uma década uma campanha chamada Go Red for Women, voltada para a saúde cardiovascular das mulheres.  A campanha começou lá nos Estados Unidos após ser constatado que mais de 500 mil mulheres morriam todos os anos lá por conta de doenças do coração, superando o número de homens mortos pela mesma causa – que até o início dos anos 1980 eram maioria, mas passaram a se prevenir e se tratar mais. A campanha internacional dá visibilidade à causa pedindo que as pessoas vistam-se de vermelho em uma data específica.

* Do programa de estágio JB

Tags: coração, derrame, infarto, instituto lado a lado pela vida, insuficiência cardíaca, OMS

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.