Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Vacina contra ebola será testada em voluntários na Grã-Bretanha

Disponibilidade da vacina está prevista para início de 2015, caso testes tenham resultados positivos

Jornal do BrasilRafael Gonzaga*

Uma vacina contra o ebola poderá estar disponível a partir do início de 2015, de acordo com informações veiculadas nesta quinta-feira (28) pela britânica BBC. Segundo a notícia, a vacina será testada em voluntários na Grã-Bretanha já em setembro. A iniciativa seria fruto de um consórcio internacional de saúde entre os setores público e privado e estaria orçada em R$ 10,4 milhões. A única coisa que falta para iniciarem os testes é a aprovação da droga utilizada na vacina pelas autoridades reguladoras britânicas.

Os Estados Unidos, que demonstraram resultados satisfatórios no tratamento de ebola em outra situação, também deverão realizar experimentos similares. Se os testes forem bem sucedidos, a intenção é já serem estendidos para Gâmbia e para Mali, de acordo com informações de especialistas da fundação Wellcome Trust – uma das que faz parte do grupo responsável por financiar a iniciativa. Além da fundação, o Departamento de Desenvolvimento Internacional britânico e o Conselho de Pesquisa Médica também são responsáveis pelo financiamento da iniciativa.

O desenvolvimento da substância que será testada está a cargo da farmacêutica GlaxoSmithKline junto ao órgão cientifico americano Instituto Nacional de Saúde (NIH). A vacina utilizará uma única proteína do ebola de modo a estimular uma resposta imune do próprio organismo sem contaminar o voluntário. A vacina será aplicada em 60 voluntários numa primeira fase e se os resultados forem considerados satisfatórios outras 80 receberão a vacina em Mali e na Gâmbia. A partir daí, a ideia é que a vacina possa ser distribuída nos países afetados no princípio do ano que vem.

De acordo com o biólogo molecular e imunologista Moncef Slaoui, porta-voz da GlaxoSmithKline, a candidata à vacina para o ebola ainda está em seus primeiros passos, mas se mostrou otimista. “Estamos animados com o progresso feito até então e faremos o melhor que pudermos, junto à OMS e aos nossos parceiros, para acelerar o seu desenvolvimento e explorar formas da vacina contribuir com o controle deste e de surtos futuros do ebola”, afirmou.

Além da vacina, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou também nesta quinta-feira (28) a emissão de um roteiro para contenção do ebola no ocidente da África. A ideia é que as medidas possam interromper a transmissão do vírus dentro do período de seis e nove meses. Além disso, a organização reconhece ser necessário abordar paralelamente questões relativas ao impacto sócio-econômico que o surto trouxe para os países afetados – principalmente Guiné, Serra Leoa e Libéria.

Surto de ebola

De acordo com o último balanço divulgado nesta quinta-feira, a OMS já contabiliza 3.069 casos de ebola e a quantidade de mortos já é de 1.552 nos quatro países da África ocidental – Guiné, Serra Leoa, Libéria e Nigéria.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que a atual epidemia do vírus pode chegar a afetar 20 mil pessoas, prosseguindo por meses. Mais de 40% do número total de casos foram registrados nos últimos 21 dias e estão concentrados em algumas localidades. A taxa de mortalidade média está em 52% – variando entre 42% em Serra Leoa e 66% na Guinée.

O balanço desvincula os casos encontrados na República Democrática do Congo e afirma que a epidemia do Congo é outra.

*Do programa de estágio JB

Tags: ebola, guiné, libéria, NIGÉRIA, organização mundial da saúde, serra leoa, testes, vacina

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.