Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Ebola já matou 726 pessoas na África, diz OMS

Agência ANSA

 A ministra da Saúde da França, Marisol Touraine, anunciou que "tem meios para fazer frente ao ebola" em entrevista ao jornal Le Parisien. Para ela, é preciso ser "extremamente vigilantes" para enfrentar essa doença. A organização norte-americana de voluntários, Corpo da Paz, anunciou que vai retirar 340 voluntários da Libéria, de Guiné e de Serra Leoa por causa do avanço do vírus. Segundo a entidade, apenas dois voluntários entraram em contato com pessoas que estavam com o vírus e estão isolados e em observação.

Novos procedimentos em voos 

A Organização Internacional da Aviação Civil (Icao, na sigla em inglês) pode rever os procedimentos de inspeção de passageiros nos voos por causa do vírus, afirmou a entidade em um comunicado.

A entidade afirmou que está trabalhando em parceria com a OMS para estabelecer novas medidas sobre o caso. A Icao ainda declarou que diversas companhias aéreas suspenderam voos para os países afetados, sobretudo depois que um passageiro liberiano que estava na Nigéria e desceu no Laos apresentou sintomas da doença.

"Por causa dos acontecimentos recentes, a OMS, a Icao e as empresas estão estudando rever os procedimentos em relação à inspeção dos passageiros. A OMS está ainda examinando as modificações e conta com a ajuda da Organização Mundial do Turismo e do Conselho Internacional dos aeroportos", escreveu em nota. 

Opinião de especialistas 

O virologista belga, Peter Piot, disse que é improvável que haja uma epidemia da doença fora da África Ocidental. Ele é o responsável por descobrir o vírus causador da doença e, atualmente, é o diretor da Universidade de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

Em entrevista ao Times, ele declarou que "não ficaria preocupado em sentar no trem ao lado de alguém com o vírus em Londres, ao menos que ele vomitasse em mim. Para transmitir essa infecção é preciso um contato muito próximo", disse o virologista. Outro cientista da Universidade de Medicina Tropical de Liverpool, Nick Beeching, declarou à BBC que as pessoas não pegam o vírus simplesmente por viajar de avião com uma pessoa infectada. "O vírus é adquirido por contato direto com fluidos humanos. Não se propaga pelo ar como uma gripe. É um tipo bem diferente de transmissão dessas infecções", disse Beeching.

Sobre a doença 

O vírus do ebola pode provocar entre 25% e 90% de mortes das pessoas infectadas. Os pacientes que recebem tratamento rápido e adequado têm altas possibilidades de se recuperar da doença.

O vírus é transmitido por contato direto com líquidos corporais infectados, como o sangue, saliva, suor, urina ou vômito. O período de incubação da doença é de 2 a 21 dias, mas o mais comum, é de 5 a 12 dias.

Os sintomas do ebola são variáveis: no começo podem ser, geralmente, súbitos e caracterizados por febre alta, dor muscular intensa ou mialgia, dores nas articulações do corpo (artralgia), dor abdominal e dores de cabeça fortes.

É possível que morcegos frugívoros, em particular os Hypsignathus monstrosus, Epomops franchetti e Myonycteris torquata, sejam os hóspedes naturais do ebola na África. (ANSA)

Tags: áfrica, ebola, morte, SAÚDE, vírus

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.