Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Hospital Ronaldo Gazolla promove campanha para diagnóstico da hepatite C

Jornal do Brasil

O Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, na Zona Norte, promove nesta segunda-feira, e até o dia 1º de agosto, campanha para diagnóstico da hepatite C. O evento, em comemoração ao Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, tem o objetivo de mostrar os riscos da doença. Um pequeno furo no dedo e, em dois minutos, o paciente já tem o resultado.

Com o diagnóstico feito na hora, e caso o resultado seja positivo, ele será encaminhado imediatamente para iniciar o tratamento. Para realizar o teste não é necessário hora marcada ou estar em jejum, basta comparecer ao ambulatório da unidade de saúde na Av. Pastor Martin Luther King Jr,10.976, das 8h às 16h.

De acordo com o diretor geral da unidade, Wagner Pelegrine, a doença, é mais grave que o vírus HIV, já que não apresenta nenhum tipo de sintoma. "A última edição do Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais, divulgada em julho de 2012, constatou que de 1999 até 2012 foram registrados 343.853 casos da doença aqui no Brasil, sendo que 82.041 eram de Hepatite C. O sudeste e o sul somaram juntos 90% dos casos confirmados. Além disso, o maior número de mortes pela hepatite C em nosso país foi registrado entre os anos de 2011 e 2012, com 16.896 óbitos; por isso é tão importante que campanhas de prevenção sejam realizadas para alertar a população sobre essa doença silenciosa", explicou.

O teste será feito preferencialmente em adultos com idades entre 35 e 60 anos, mas pacientes a partir de 18 anos que tenham piercing,tatuagem e compartilhem lâmina de barbear e alicates de unha, mesmo que entre seus familiares, também poderão passar pelo exame, já que de acordo com Jorge Lucena, gastroenterologista do hospital, o número de jovens portadores da hepatite C cresceu muito nos últimos anos devido aos estúdios de tatuagem e salões de beleza de fundo de garagem e os que não respeitam as normas da Vigilância Sanitária, que acabam pondo em risco a saúde de quem os procura. 

Ele garantiu ainda que a doença tem cura, mas o resultado depende muito da vontade do paciente em ficar curado, já que ele pode durar até 72 semanas. "A hepatite C é transmitida pelo sangue contaminado. Qualquer objeto perfurocortante, isto é, lâminas, agulhas, alicates, tesouras, palito de laranjeira, inclusive, se compartilhado pode transmitir a doença", disse.

Tags: combate, doença, exames, sangue, transmissão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.