Jornal do Brasil

Sábado, 22 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Mega projeto indiano moverá 174 bilhões de metros cúbicos de água

Jornal do Brasil

Uma matéria da revista Science desta semana diz que o governo indiano esta se preparando para avançar em um dos projetos mais ambiciosos já concebidos, que é construir 15 mil km de extensão de redes de canais e túneis que moveriam 174 bilhões de metros cúbicos de água por ano, quase um terço do valor que o EUA tiram de aquíferos cada ano de áreas com excedente de água para as regiões áridas da Índia.

A justificativa para os 168 milhões de dólares gastos no Projeto Nacional Interligando Rios (PNIR) é muito simples: o governo indiano, para alimentar sua população que cresce cada vez mais, determinou que se deve expandir drasticamente suas terras aráveis. Cerca de 100 milhões de hectares são irrigados na Índia. O projeto, se for totalmente implementado, poderá aumentar a quantidade para cerca de 135 milhões de hectares, e ao mesmo reduzir os danos causados pelas inundações durantes as monções de verão e adicionar 34 gigawatts de capacidade de energia hidrelétrica. O plano atual, feito pela Agência Nacional de Desenvolvimento de Recursos Hídricos da Índia, prevê 16 ligações entre rios e rios do Himalaia alimentados e atingidos pela seca no oeste da Índia, e outros 14 elos da metade sul da península. O recém-eleito Primeiro Ministro indiano Nerenda Modi, que é um dos patrocinadores elogiou o projeto.

A matéria revela ainda que Uma Bharti, Ministro da Água indiano, disse em uma reunião que pretende limpar o Rio Ganges. Mais os diretores do projeto disseram que a limpeza deste rio demoraria um quarto de século para ser concluído, e ainda assim eles enfrentariam obstáculos políticos e dissensão cientifica. Críticos do projeto dizem que a transferência de água vai espalhar espécies invasoras e doenças transmitidas pela água e interferir na migração dos peixes. Países ricos em água podem também se recusar a partilhar, dizem alguns hidrólogos.

O governo indiano já havia proposto uma “rede nacional de água” em 1972, com 2.640 km de extensão, mas ideia foi arquivada devido ao custo. Ao longo dos anos, com o crescimento das aspirações do projeto e como o apoio político aumentou, várias ligações foram construídas, incluindo ligações no estado em que Modi era governador, antes de se tornar Primeiro Ministro.

A matéria também revela que o governo anterior da Índia, liderado por Manmohan Singh, nunca foi adapto pelo projeto de interligações da água. Os críticos dizem que Singh tinha razão em manter o projeto congelado. “A equação que diz que a inundação significa excesso de água e a seca significa déficit é enganosa e errada, argumenta Himanshu Thakkar, um engenheiro de barragens da Rede Sul Asiática, um grupo de defesa”.

O governo atual não vê desta forma, e afirma que o antigo governo dormiu no projeto, mesmo depois de o Supremo Tribunal Federal ter considerado que o projeto das águas era um beneficio nacional. 

Tags: água, índia, projeto, revista, science

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.