Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Fisioterapia como alternativa no tratamento contra a incontinência urinária

Jornal do Brasil

Dados da Sociedade Brasileira de Urologia indicam que uma em cada 25 pessoas desenvolve incontinência urinária. A perda do controle na vontade de fazer xixi é duas vezes mais comum em mulheres. Isso ocorre devido, por exemplo,  às mudanças hormonais ao longo da vida, à ocorrência de eventuais períodos de gravidez e partos, ao relaxamento do músculo que fecha o canal da urina, pelo canal da uretra ser mais curto, além de eventuais traumatismos da pelve e períneo. Este distúrbio causa incômodos e constrangimentos.

Um dos tratamentos é a cirurgia. No entanto, em muitos casos, a fisioterapia é a melhor opção para auxiliar na correção ou melhora da incontinência. Um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) avaliou os efeitos do método de Reeducação Postural Global (RPG) nos sintomas de incontinência urinária em 25 mulheres com queixa clínica. Elas foram submetidas ao tratamento com a RPG em sessões individuais de 50 minutos semanais por três meses e quinzenais por mais três. Os exercícios, focados em posturas de correção propostas pelo método, foram indicados para recuperar o contrôle fisiológico do assoalho pélvico.

Após seis meses de tratamento, os resultados mostraram que a RPG é uma alternativa para o tratamento da incontinência urinária, com seis pacientes curadas, 16 com melhoras significativas e três falhas. Além disso, a qualidade de vida também melhorou.

“A fisioterapia é uma ciência muito abrangente. Alguns métodos de tratamento, como o RPG, trabalham vários aspectos, como alguns exercícios que consistem em contrair os músculos do assoalho pélvico, fortalecendo-os e impedindo a perda involuntária da urina. O tratamento é adaptado ao paciente. Por isso, o sucesso de melhora é significativo”, explica o fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral (ITC). “O tratamento pode durar de 4 a 6 sessões em média e, nos casos mais graves, de 10 a 12 sessões. A menos que sejam casos neurológicos, estes são imprevisíveis”, completa.

Conhecida como Fisioterapia Uroginecológica, a técnica possui como objetivo fortalecer ou equilibrar as tensões dos músculos do assoalho pélvico, para evitar consequências, como os prolapsos genitais (descida dos órgãos pélvicos), incontinência fecal, disfunções sexuais e a incontinência urinária. É necessária a supervisão de um profissional para essa reeducação, já que também é aliada a técnicas complementares, como de postura, respiração e novos hábitos da vida diária.

O tratamento é realizado pelo fisioterapeuta formado em RPG Souchard, segundo os princípios do método, o que determina uma correção simultânea de todos os elementos relacionados ao problema. Por exemplo, a má postura favorece a má posição dos órgãos internos; e a limitação da amplitude respiratória, por tensões do diafragma, transmite esse desequilíbrio ao períneo. Em RPG, a correção do períneo é feita concomitantemente à recuperação da suspensão dos órgãos internos, através do bom equilíbrio postural.

Tags: fisio, SAÚDE, terapia, tratamento, urologia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.