Jornal do Brasil

Sábado, 22 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Peru impõe embargo à carne bovina brasileira devido a caso de vaca louca

Agência Brasil

O Peru impôs embargo temporário de 180 dias à carne bovina brasileira devido a um caso de encefalopatia espongiforme bovina, popularmente conhecida como doença da vaca louca, em uma unidade do Frigorífico JBS/Friboi em Mato Grosso. A informação é do Ministério da Agricultura do Brasil.

Segundo a pasta, uma missão técnica irá ao Peru na próxima semana para dar explicações sobre o caso. O ministério argumenta que foi feito um trabalho rigoroso pelo sistema de vigilância sanitária e houve comunicação a todos os organismos internacionais.

De acordo com o Ministério da Agricultura, as importações da carne brasileira pelo Peru representam apenas 0,1% das exportações brasileiras, e os itens vendidos ao país são basicamente miúdos.

No último dia 2, o Ministério da Agricultura informou ter recebido do laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) a confirmação da doença, mas ainda falta saber se o é um caso atípico ou um caso clássico. O laboratório, que funciona na Inglaterra, deve encaminhar o diagnóstico amanhã (9), segundo o ministério.

Exames realizados no Laboratório Nacional Agropecuário de Pernambuco concluíram que é um caso atípico, quando a doença surge de forma esporádica e espontânea e não está relacionada à ingestão de alimentos contaminados. O caso clássico, o mais perigoso, envolve contaminação por intoxicação alimentar e, segundo o ministério, não há indícios de que isso tenha ocorrido.

Para confirmar que o caso é atípico, foram identificados 49 animais nascidos um ano antes e um ano depois do registro do caso da vaca louca. Mas as amostras de todos deram negativo para a doença. O resultado faz o ministério acreditar que a vaca contraiu a doença por velhice e não por intoxicação.

Segundo o JBS/Friboi, a carne não chegou a entrar no mercado de consumo. A doença da vaca louca é causada por uma proteína chamada príon, que pode ser transmitida a bovinos e caprinos quando alimentados com ração de farinha contendo carne e ossos de animais contaminados. Além de causar a morte dos animais, a EEB pode infectar seres humanos.

No ano passado, após a confirmação de um caso de doença da vaca louca em um animal morto em 2010 em Sertanópolis (PR), vários países suspenderam a compra da carne brasileira, embora também se tratasse de EEB atípica.

A OIE não alterou a classificação de risco do Brasil para a doença, que continua insignificante. Os países que deixaram de comprar carne foram o Japão, a China, o Peru, o Líbano, a Coreia do Sul, Arábia Saudita, África do Sul, ilha de Taiwan, a Jordânia e o Chile.

Tags: alimentos, bois, brasileiros, doença, importação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.