Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Mudança do eixo de gravidade pode passar despercebido no pós-gravidez

Jornal do Brasil

A gravidez é um momento considerado lindo na vida de uma mulher. No entanto, algumas transformações que elas enfrentam são temidas por muitas. Quilos a mais, estrias, hormônios a mil, manchas no rosto e pés inchados, são mudanças que envolvem essa fase. Outra alteração fisiológica que pode acontecer e passar despercebida a partir do final da gestação é a mudança no eixo de gravidade.

Isso ocorre devido às alterações fisiológicas e hormonais do corpo, como: alongamento da musculatura abdominal, volume do útero expandido, hormônio liberado em função da lactação e as mamas dilatadas pesando no tórax, que fazem com que o centro de gravidade seja deslocado. Para tentar ficar em uma posição ereta, a grávida projeta o abdômen para frente e costuma andar com as pernas abertas. A postura incorreta e os desvios da coluna que já ocorrem durante a gravidez, ocasionam a dor na lombar.

Até seis meses depois de dar à luz, a mulher tende a manter essa postura. Ou seja, o equilíbrio fica comprometido e alguns tombos ou tropeços podem acontecer. “É natural que o corpo demore um tempo para voltar ao que era, porque acostumou durante nove meses com as alterações. Algumas mulheres não conseguem associar a perda do eixo com a gravidez e por isso, passa despercebido. Algumas dores, cansaço e até dificuldade em realizar alguns movimentos corriqueiros são alguns dos sintomas pós-gravidez”, explica o fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral (ITC).

Renata Bueno teve o eixo corporal deslocado após o nascimento do primeiro filho. “Comecei a levar tombos frequentes. Foram diversos, até que, em um deles, quebrei o pé. Conversando com uma amiga sobre o assunto ela tinha também passado por isso e disse que eu poderia estar fora do eixo por conta da gravidez. Foi quando procurei ajuda de uma fisioterapeuta”, conta.

Controlar o ganho do peso, fisioterapia e realizar exercícios na água ou de fortalecimento muscular, como ioga e pilates, são algumas atitudes que podem minimizar os efeitos dos sintomas.

 

Tags: comportamento, fisioterapia, gravidez, pilates, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.