Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Facebook e Apple superam previsões de economistas

Agência ANSA

As estrelas da Apple e do Facebook parecem brilhar cada vez mais, com contas referentes ao segundo trimestre de 2014 que bateram as expectativas dos analistas mais credenciados. A Apple vai contra as previsões que apontavam um colapso na empresa e já contabilizou receitas de US$ 45,6 bilhões (cerca de R$100 bilhões) e cada uma de suas ações vale US$11,62 (cerca de R$25), contra os 43,5 bilhões (cerca de R$95 bilhões) estimados pelos especialistas. Um lucro líquido de 7,1%, e US$ 10,2 bilhões (cerca de R$22,2 bilhões).    

Um feito notável para uma empresa que de acordo com muitos especialistas já atingiu o auge de seu sucesso. Tim Cook, número um do grupo, anunciou um aumento de 8% nos dividendos do grupo, um fracionamento acionário que assegurará sete ações cada ação possuía, além de uma expansão de U$ 30 bilhões (cerca de R$ 66 bilhões) no programa "buy back". E é sempre o iPhone o responsável por impulsionar as vendas da empresa fundada por Steve Jobs: 43,7 milhões vendidos no segundo trimestre, bem acima das previsões. Por outro lado, as vendas das diversas versões do iPad foram um pouco decepcionantes: apenas 16,3 milhões em comparação com os 19,98 milhões estimados.    

Grande satisfação também na casa de Mark Zuckerberg, onde são festejados os US$2,5 bilhões (cerca de R$5,5 bilhões) em receitas (34 centavos de dólar a ação), ao invés dos US$ 2,3 bilhões (cerca de R$5 bilhões) previstos. O lucro líquido foi de US$642 milhões (cerca de R$1,4 bilhão), o triplo em comparação com o primeiro trimestre. Um ótimo resultado após duas aquisições fundamentais para o futuro da rede social mais popular do mundo: o serviço de mensagens instantâneas WhatsApp e a líder em realidade virtual Oculus.

Tags: Apple, economia, Facebook, receita, sucesso

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.