Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Novas descobertas sobre a gonorreia 

Jornal do Brasil

A gonorreia passa de pessoa para pessoa, graças a caronas inteligentes. Durante 40 anos os pesquisadores pensaram que a Neisseria gonorrhoeae, a bactéria que causa a doença sexualmente transmissível, mexesse o esperma durante a relação sexual. Mas a ideia não explicou como as mulheres passam a DST para o sexo masculino, é o que relata uma matéria da revista Science desta semana.

Um novo estudo mostra que ao invés de usar o esperma como uma prancha de surf, as bactérias Neisseria Gonorrhoeae disparam cabos chamados pili, a proteínas no sêmen para rebocar-se através do líquido coital. Os pilis são normalmente envolto em feixes, mas quando exposto ao líquido seminal, eles descontraem em fios individuais. Com isso os ganchos se agarram para se transportar, aumentando a capacidade de invasão das bactérias em até 24 vezes.

As proteínas seminais também ajudam as bactérias a anexar células da pele, cultivadas em um prato, que tanto na linha masculina quanto no trato genital feminino, que ajuda a infecção. Uma droga que desprenda o pili da gonorreia pode render novos antibacterianos que dificultaram a transmissão desta doença sexualmente transmissível, que infecta 100 milhões de pessoas por ano.

Tags: bactérias, gonorreia, infecta, revista, science

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.