Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Mais oliveiras em um mundo em aquecimento

Jornal do Brasil

Os olivicultores podem ser alguns dos poucos agricultores terem maiores rendimentos e lucros em um mundo mais quente, sugere um novo estudo. Usando um modelo climático regional, os pesquisadores analisaram como um aumento da temperatura média global de 1,8 ° C (a mudança de temperatura esperada entre os anos 1960 e 2040) pode afetar o crescimento da oliveira (Olea europaea) e o azeite mosca da fruta (Bactrocera oleae), uma das principais pragas da cultura. Na Bacia do Mediterrâneo, onde 97% da colheita de azeitonas do mundo é cultivada (muito para produzir azeite de oliva), as alterações climáticas esperadas fará com que os rendimentos de toda a região cresça 4,1% e o lucro líquido cresça 9,6%, dizem os pesquisadores, é o que relata uma matéria da revista Science desta semana.

Enquanto a colheita de azeitonas da região vai melhorar no geral, algumas áreas verão lucros cair substancialmente estimam os pesquisadores. No Norte da África, onde os rendimentos são agora de baixo, os lucros estimados subam mais do que 41%%, mas no Oriente Médio, ao longo das porções orientais do Mediterrâneo, os lucros vão diminuir em média 7,2%. Como o aumento do calor afeta a mosca da azeitona, o fruto terá o maior efeito sobre os lucros, as notas da equipe: porque a oliveira suporta o calor melhor do que o sua principal praga, algumas áreas agora infestadas com a mosca da azeitona, o fruto vai se tornar inadequado para o inseto.

Tags: inseto, lucros, oliveiras, revista, science

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.