Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

‘A programação é a linguagem do século 21’

Para fundador da Codecademy, é preciso entender a linguagem que está mudando a vida de todos

PorvirFernanda Kalena

Que as tecnologias chegaram em nossas vidas para ficar, ninguém mais duvida. Agora, qual o futuro das inovações e como vamos interagir com elas é um tema que está sendo bastante debatido. Especialistas já apontam a programação como a linguagem do futuro e ferramentas que ensinam a codificar estão ganhando cada vez mais espaço. É o caso da Codecademy, plataforma on-line que oferece aulas gratuitas de codificação em linguagens de programação. “Quando montamos a empresa, dois anos e meio atrás, já tínhamos em mente que a programação é a habilidade mais importante do século 21”, afirma Zach Sims, um dos fundadores da startup.

Sims defende que é fundamental que as pessoas entendam por que e como essas mudanças estão acontecendo e que se envolvam com elas. “Todas as indústrias, seja de jornalismo, medicina, agricultura, são impactadas pela tecnologia. É importante que aprendam pelo menos o básico da linguagem que está mudando a vida de toda a sociedade.”

Para ele, o aprendizado da programação tem efeitos multidisciplinares, que envolve diversas áreas de nossas vidas. “Entender essa linguagem torna as pessoas melhores em muitas coisas. Melhora a capacidade de resolver problemas, em lidar com desafios e obstáculos. Essas habilidades são importantes para a vida como um todo.”

A crescente importância da linguagem não é novidade. Mitch Resnick, criador do Scratch, um projeto do Media Lab, do MIT (Massachusetts Institute of Technology), que ensina alunos a partir dos 5 anos a dar os primeiros passos em programação, já comparou a importância em aprender a programar com a de aprender a ler: “Quando você aprende a ler, você pode então ler para aprender. É a mesma coisa ao escrever códigos. Se você aprende a escrever códigos, você pode escrever códigos para aprender”, disse em sua apresentação durante o TEDx Beacon Street, no ano passado.

E em um artigo publicado no EdSurge, completou: “Vejo a codificação (programação de computadores) como uma extensão da escrita. A capacidade de codificar permite “escrever” novos tipos de coisas como histórias interativas, jogos, animações e simulações”.

Até dezembro do ano passado, a Codecademy já tinha ultrapassado a marca de 24 milhões de usuários únicos, segundo o The Wall Street Journal. Para Sims, o sucesso se dá porque ensinar as pessoas a programar as ensina também a pensar e a entender as tecnologias, e não apenas fazer um uso passivo delas.

A plataforma já é usada em algumas escolas dos Estados Unidos e, segundo o empresário, acordos para levar a Codecademy para países do sudeste asiático, como Malásia e Singapura, já estão sendo estudados pelos governos.

Tags: aulas gratuitas, codificação, linguagens, Plataforma, programação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.