Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Ciência e Tecnologia

Especialista indica 10 filmes para estimular empatia

Norvall é especializado em coaching de vida educacional

PorvirFernanda Kalena

Filmes, livros e histórias são ferramentas importantes para estimular a imaginação. Mergulhar em histórias que não fazem parte de nossas vidas nos ajudam a entrar na pele de outra pessoa e ver o mundo a partir da perspectiva dela. Em outras palavras, o cinema pode nos ajudar a desenvolver empatia, como explica o especialita norte-americano Brady Norvall. “Isso [a experiência do cinema] desenvolve a empatia e melhora a nossa percepção do outro. Os jovens precisam ser capazes de se comunicar efetivamente sobre suas emoções, sentimentos e medos. É importante mostrar histórias de outras pessoas que fizeram coisas diferentes e se deram bem, assim como exemplos que podem nos inspirar.”

Norvall é especializado em coaching de vida educacional, ajudando jovens estudantes a planejar um futuro bem sucedido – o que, para ele, não necessariamente significa estudar em uma grande universidade e está muito mais relacionado à questões como a habilidade de desenvolver empatia. (Leia a matéria completa sobre o coach que questiona como é medido o sucesso dos jovens nos dias atuais).

Apesar de parecer simples à primeira vista, desenvolver a habilidade de compreender o outro está na lista de competências demandadas para o século 21 e que deveria, inclusive, ser desenvolvida na escola, como aponta o National Research Council, a organização norte-americana que faz pesquisas sobre temas importantes da sociedade para ajudar governos a desenharem políticas públicas, reunisse especialistas para definir quais são essas competências.

Em suas consultorias, Norvall costuma indicar para os estudantes uma lista de documentários e filmes que estimulam essas habilidades, como o filme Intocáveis que ilustra a diferença entre empatia e compaixão e O Labirinto do Fauno que mostra a força e o poder da imaginação na vida de uma criança.

Dentre a extensa lista, o Porvir selecionou 10 obras, mantendo a variedade de assuntos e perspectivas e os comentários de Norvall. Confira:

Documentários

1. Os Tempos de Harvey Milk, de Rob Epstein.

Relata a vida e carreira de Harvey Milk, político e ativista gay norte-americano que foi assassinado em 1978. “Um olhar interessante sobre a história de um dos mais importantes ativistas de direitos humanos que, provavelmente, você nunca ouviu falar.”

2. Uma verdade Inconveniente, de Davis Guggenheim.

Mostra a campanha do ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore que tinha como objetivo educar os cidadãos do mundo sobre a questão do aquecimento global. “Assista por nenhum outro motivo a não ser ajudar a ampliar a consciência e entender melhor como cada um de nós, todos os dias, contribuímos para a mudança do mundo.”

3. Blackfish, Fúria Animal, de Gabriela Cowperthwaite.

O documentário investiga o histórico dos shows com baleias orca nos Estados Unidos e as condições dos cativeiros onde os animais são mantidos. “É importante assistir para que cada pessoa reconheça e entenda que divide um planeta com uma série de outras espécies.”

Filmes

4. Kundun, de Martin Scorcese.

Desde a infância até a idade adulta, o décimo quarto Dalai Lama, líder político e espiritual do Tibet, lida com a opressão chinesa que pretendia tomar posse da região. “O filme mostra exatamente porque o líder possui essa força tão grande, devido sua visão de mundo e poder que devem ser reconhecidos.”

5. O Labirinto do Fauno, de Guillermo del Toro.

Na Espanha fascista de 1944, a estudiosa jovem enteada de um sádico oficial do exército escapa para um mundo de fantasia estranha, mas cativante. “A imaginação é poderosa. Faça tudo que puder para promover a imaginação das crianças ao seu redor.”

6. Sobre Meninos e Lobos, de Clint Eastwood.

Após uma tragédia na infância obscurecer suas vidas, três homens se reencontram quando um deles perde sua filha. “É sobre viver em comunidade, as raízes e as experiências que temos, como o tempo nos molda e como as vezes as pessoas perder perspectiva quando eles não têm outros para apoiá-los.”

7. Infância Roubada, de Gavin Hood.

Narra os seis dias da vida de um líder de uma gangue de Johanesburgo, África do Sul, que furta o carro de uma mulher sem saber que o bebê dela está no banco de trás. “A pobreza e as dificuldades em crescer nesse cenário e o poder que cada escolha que tomamos têm em nossas vidas são abordadas nesse filme.”

8. Cidadão Kane, de Orson Welles.

Baseado na vida do magnata William Randolph Hearst, homem que construiu um império dos meios de comunicação a partir do nada, mas que vivia uma vida pessoal extremamente turbulenta. “O melhor filme de todos os tempos! E o mais inteligente também. Pense sobre isso: o que a grande riqueza e podem alcançar?”

9. Cidade de Deus, de Fernando Meirelles.

Retrata o crescimento do crime organizado na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro,  entre o final da década de 1960 e o início da década de 1980. “É uma assustadora ilustração do poder da pressão econômica e social, mas também mostra a natureza redentora da arte e das boas escolhas.”

10. Intocáveis, de Olivier Nakashe e Eric Toledano.

Um acidente de paraquedas deixa um milionário aristocrata tetraplégico e ele contrata um jovem recém saído da prisão para ser seu cuidador. “Um filme derradeiro que ilustra a diferença entre empatia e compaixão. É uma maravilhosa lição para todos que assistirem.”

Tags: aprendizado, criatividade, empatia, ferramenta de estímulo, imaginação, lúdico

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.