Jornal do Brasil

Sábado, 1 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Dia Mundial de Combate à LER é comemorado nesta sexta

Jornal do Brasil

O ser humano tem tendência a fazer atividades repetitivas e contínuas, como tocar um instrumento, dirigir e digitar. Uma das consequências destas repetições é a lesão por esforço repetitivo, ou ainda, mais conhecida como LER. Atualmente, ela foi denominada de Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), por ser considerada uma síndrome complexa e englobar várias doenças, como tendinite, bursite e síndrome do ombro doloroso. As LER/Dort são responsáveis por lesões nos tendões, músculos, articulações e nervos. Dia 28 de fevereiro, comemora-se o “dia mundial de combate a LER/DORT”. 

Segundo dados do INSS, as lesões por esforços repetitivos são a segunda causa de afastamento do trabalho no Brasil. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cada 100 trabalhadores na região Sudeste, um é portador da síndrome. Dados de 2011 do Ministério da Previdência Social, informaram que o custo para o Brasil relacionado a acidentes e doenças de trabalho somado ao pagamento das aposentadorias e outras despesas, é maior que R$40 bilhões/ano. 

Os profissionais mais suscetíveis a desenvolver o DORT são: bancários, metalúrgicos, digitadores, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing, jornalistas e secretárias.  

Além das atividades repetidas, a LER também pode ser ocasionada pela postura incorreta e estresse. Alguns sintomas da síndrome são: cansaço, dor ao realizar certos movimentos, formigamento e fadiga. No entanto, como o desenvolvimento da lesão é lento, o perigo está no momento em que é percebida, pois já pode haver um comprometimento severo da área afetada. Se for detectado logo, cerca de 90% dos casos melhora em três meses de tratamento. 

A fisioterapia é uma das etapas primordiais para alcançar uma recuperação eficiente. “Para evitar a LER, fazer alongamentos constantes durante o dia é primordial. A dica é alongar as regiões nas quais o desenvolvimento da síndrome é mais propenso, como os músculos do pescoço, o punho, os ombros e a lombar”, explica o fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral (ITC). 

Helder ensina uma série de exercícios para alongamento. Um deles, por exemplo, é o da musculatura posterior do pescoço, que a pessoa pode estar em pé ou sentada. Com a coluna reta, apoie as mãos atrás da cabeça e olhe para o chão dobrando o pescoço para baixo e mantenha a coluna reta. Manter por 30 segundos. Repetir mais 2 vezes. 

Sempre que possível, dar uma parada a cada meia hora de serviço na frente do computador, beber muita água e tentar manter uma postura adequada com as costas apoiadas no encosto da cadeira, são algumas recomendações para evitar a síndrome. 

Dicas para evitar a LER/DORT:

- Realize pausas durante a jornada de trabalho. Movimente-se e faça alongamentos;

- Tente não fazer força ou pressão exagerada e repetitiva em suas atividades;

- Lembre-se de manter uma postura adequada;

- Pratique exercícios físicos;

- Evite o estresse;

- Se os sintomas persistirem, procure um médico.

 

Tags: dicas, esforço, fisioterapeuta, repetitivo, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.