Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Brasileiro prefere internet à televisão e toma gosto pelas webséries

Jornal do Brasil

Não é mais novidade que a internet tem atraído muito mais os olhos dos espectadores do que a televisão. Por vezes, passa-se um dia inteiro nas "nuvens" e  não há novela que faça a telinha ser ligada. E mais: pulamos de downloads para uploads. Criadores de plantão parecem ter descoberto que melhor que baixar um conteúdo "famoso", é criar algo autoral, lançá-lo à rede e, com sorte, ganhar destaque. Um desses talentos que vem ganhando mais espectadores a cada dia é a equipe da websérie Capim Mulambo, que aborda temas como sexualidade, desigualdade social e violência.

São 35 pessoas, entre elenco e equipe técnica, recrutados pelo cineasta Wallace Ramos, que deram vida a uma fábula sobre a desigualdade social brasileira. Inspirado no trabalho de John Waters, diretor que teve destaque nos anos 70 com filmes cult transgressivos, Wallace escolheu a comunidade da Maré para ser pano de fundo da história. 

"Além de fã de filmes trash, sou cria da Maré e não tenho como, nem quero, fugir disso. Tudo o que fiz foi juntar a minha formação profissional com os pontos fracos e fortes do dia a dia da comunidade, que renderiam um bom roteiro", explica. De acordo com Ramos, que além de idealizador é roteirista e diretor da série, ao todo, serão 13 capítulos. 

O primeiro episódio já está disponível no canal Capim Mulambo, e o segundo será lançado ainda no final deste mês.

A visibilidade de criações do gênero é facilmente explicável. Além da interatividade, que permite acessar e compartilhar o conteúdo que quiser, o público considera as criações do meio digital mais atrativas do que as da TV. Capim Mulambo, que conta com produções paralelas, é um exemplo desta pluralidade permitida no online. Além da série, que conta a história de Makoumba, Wallace também criou a HQ Ciscado, uma história em quadrinhos com diversas vinhetas que complementam a narrativa.

Internet x Televisão

Em pesquisa realizada pela Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil) em parceria com a ComScore, a internet foi escolhida pelo público brasileiro como a mídia recreativa favorita. Foi proposta, para mais de duas mil pessoas, a seguinte pergunta: "se tivesse 15 minutos livres no dia, qual seria sua atividade escolhida?". Navegar na web foi a opção de 33% dos entrevistados, seguida pela utilização de redes sociais, com 13%. Somando os resultados relacionados ao mundo online, quase 70% das pessoas preferem dedicar o tempo livre na realidade virtual. 

Por sua vez, assistir TV obteve 11%. O estudo mostra ainda que a internet é considerada a mídia mais importante para 80% dos pesquisados. A telinha ficou em segundo lugar (50%), seguido pelo jornal (37%) e pelo rádio (28%).

 

Tags: favoritos, pesquisa, Redes, tecnologia, TV

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.