Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Acesso a mamografia é ampliado em São Paulo

Agência Brasil

Começa, na segunda-feira (17), uma campanha do governo paulista de diagnóstico precoce do câncer de mama como parte do Programa “Mulheres de Peito”. Em 300 unidades da rede estadual de saúde, serão atendidas mulheres com idade entre 50 e 69 anos para efetuar exame de mamografia. As interessadas não precisarão apresentar a solicitação médica para se submeter ao exame, mas o agendamento neste ano é destinado às aniversariantes do mês nascidas em anos pares.

Neste mês serão marcados os exames das nascidas em janeiro e fevereiro. Para as mulheres que nasceram em anos ímpares, o atendimento ocorrerá em 2015. Haverá exceção, no entanto, para as que estão nesse grupo e há mais de dois anos sem fazer o checkup.

A espera prevista é de 45 dias e se for constatada alguma alteração com necessidade de uma investigação médica mais aprofundada ou indícios de câncer, a paciente será encaminhada a um serviço de  referência do Sistema Único de Saúde.

O anúncio foi feito hoje (5), em cerimônia no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, com a presença do governador Geraldo Alkmin e do secretário estadual da saúde, David Uip entre outras autoridades do setor. Os dois defenderam que o rastreamento identificando a doença no início aumentam as chances de cura. Os exames poderão ser feitos tanto nas unidades de saúde convencionais como nos locais conveniados e nas unidades móveis.

De acordo com o governador, uma carreta colocada no bairro de Santo Amaro já possibilitou que fossem feitos 1,2 mil exames dos quais 19 tiveram encaminhamento. Serão colocadas mais duas carretas, na região do ABC paulista, uma em Diadema e outra em São Bernardo do Campo. Há previsão ainda de mais uma em Bauru.

”A detecção precoce de qualquer neoplasia faz com que a doença tenha um prognóstico muito bom [ajudando] a salvar muitas vidas porque o câncer tem aumentado, mas se for tratado logo no início tem cura”, defendeu Alckmin.

Davi Uip admite que há uma demanda reprimida, porém, acentuou que a estrutura montada irá atender proporção de mulheres em pelo menos 80%, nível acima da meta estabelecida como objetivo do Ministério da Saúde que é de 70%. Além disso, complementou: “estamos tentando acabar com os pacientes itinerantes, criando unidades de atendimento mais próximas das residências”.

Tags: ampliação, exames, Governo, SAÚDE, SP

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.