Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Setembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Pessoas com reações lentas são mais propensas à morte precoce

Portal Terra

?Se você é do tipo que ‘dorme no ponto’, não vai apenas ficar para trás, mas também pode acabar morrendo mais cedo. Um estudo mostrou que homens e mulheres com reações lentas correm mais risco de sofrer uma morte prematura, mesmo aqueles que ainda estão na faixa dos 20 e 30 anos. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

Pesquisadores britânicos afirmam que a falta de atenção pode ser tão perigosa quanto o hábito de fumar. Acredita-se que a lentidão do cérebro pode ser um sinal de uma deterioração maior do corpo.  

Se mais pesquisas confirmarem esta relação, clínicos gerais poderão usar um teste de tempo de reação como um exame de saúde rápido e simples.

Os especialistas envolvidos na pesquisa, de universidades de Glasgow, Edimburgo e também da University College London, analisaram informações de mais e 5 mil americanos que fizeram um teste de tempo de reação quando tinham entre 20 e 59 anos.

Eles não envolveram atividades pouco complexas como sentar na frente de um computador e apertar um botão toda vez que o número zero aparecesse. Os voluntários fizeram o teste 50 vezes, e foram medidas a velocidade e consistência.

Aqueles que foram mais lentos se mostraram 25% mais propensos à morte nos próximos 15 anos do que os que foram rápidos na média.

Aqueles que foram lentos em algumas ocasiões e rápidos em outras também apresentaram risco de morte precoce.

O tempo de reação não foi relacionado a mortes por câncer, mas sim por ataque cardíaco ou derrame. “Nossa pesquisa mostra que um simples teste de pode prever a sobrevivência independente da idade, sexo, grupo étnico ou nível socioeconômico”, disse o pesquisador Gareth Hagger-Johnson.

Ele afirma que a velocidade com a qual o cérebro responde pode espelhar o estado geral do organismo. Isto significa que o tempo de reação lento pode ser sinal de outras doenças.  

Tags: . lentidão, CIÊNCIA, pesquisa, raciocínio, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.