Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Sonhar com tarefa significa aprender mais

PorvirVinícius Boppré

Em várias escolas e universidades as aulas já voltaram e aquela desculpa para dormir até tarde vai perdendo a força. Certo? Errado. Pode parecer estranho, mas um grupo de pesquisadores está cada vez mais empenhado em compreender a relação entre os sonhos e os conhecimentos e habilidades desenvolvidas durante o dia. Entre as descobertas, por exemplo, está o fato de que sonhar com uma tarefa executada ao longo do dia está associado com o melhor desempenho nessa atividade.

Mais do que isso, pesquisadores já começaram a reconhecer que o sonho é parte essencial da compreensão, organização e retenção dos conhecimentos e que até mesmo um cochilo é capaz de direcionar o aprendizado. Isso mesmo. Enquanto dormimos, pesquisas indicam que o cérebro repete os padrões de atividade que experimentou durante as horas de vigília, o que nos permite entrar no que um psicólogo chamaria de realidade virtual neural e, consequentemente, treinar e aprender algo que trabalhamos acordados.

Um bom exemplo é parte de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Distúrbios do Sono do Hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris. Eles ensinaram uma série de passos de dança para pacientes com distúrbios como sonambulismo – em que o corpo executa movimentos que normalmente seriam inibidos durante o sono.

Feito isso, eles colocaram os pacientes para dormir e registraram com uma câmera. Deitada na cama, de olhos fechados, a mulher na fita faz uma interpretação fiel dos passos de dança que aprendeu cedo. “Essa é a primeira demonstração direta e inequívoca da repetição comportamental evidente de uma habilidade aprendida recentemente durante o sono do ser humano”, escreve Delphine Oudiette, autora do estudo.

A crença antiga era de que a mente do homem durante o sono é como uma folha em branco para atividades neurológicas sem direção. Os cientistas refutam essa lógica e afirmam que, enquanto dormimos, nossos cérebros estão extraindo o que é importante das informações e eventos encontrados recentemente para, em seguida, integrar os dados do seu grande estoque daquilo que já sabemos, o que talvez explique o motivo dos sonhos serem uma mistura tão estranha de novas experiências e memórias antigas.

Em um outro estudo publicado na revista Current Biology, os pesquisadores da Harvard Medical School relataram que os estudantes universitários que sonharam com uma tarefa de um labirinto executada no computador, mostraram uma melhoria de 10 vezes na sua capacidade de navegar pelo labirinto em comparação com os participantes que não tiveram sonhos como estes.

Robert Stickgold, um dos pesquisadores de Harvard, sugere que estudar direito antes de dormir ou tirar uma soneca depois de uma sessão de estudo no período da tarde pode aumentar as chances de sonhar com o material. Alguns cientistas, inclusive, estão estimulando ainda mais a noção de melhorar a aprendizagem por meio do aumento dos sonhos, pedindo que os estudantes pratiquem mentalmente as habilidades adquiridas durante o estado de sonolência.

Em um estudo piloto publicado no The Sport Psychologist Journal, da Universidade de Berna, o psicólogo Daniel Erlacher instruiu os participantes a sonhar que estavam jogando moedas em um copo. Aqueles que sonhavam com sucesso sobre a tarefa apresentaram melhora significativa em suas reais habilidades para jogar cara ou coroa. Experiências como estas levantam a possibilidade de que poderíamos nos treinar para cultivar nossas habilidades enquanto dormimos. Pense nisso e bons sonhos!

Com informações do Mind Shift e Wired.

Tags: desempenho, distúrbios do sono, escola, pesquisa, sono

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.