Jornal do Brasil

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Ciência e Tecnologia

Atualização de dados do registro facilitará encontro de doadores

Agência Brasil

O Centro de Transplante de Medula Óssea (Cemo) do Instituto Nacional de Câncer (Inca)  está atualizando o banco de dados do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), para facilitar o encontro do doadores. Segundo o diretor do Cemo, Luis Fernando Bouzas, também coordenador do Redome  e do Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea, a atualização é feita em conjunto com  os hemocentros e as instituições responsáveis pelos cadastros.

De acordo com o médico, ao fazer a inscrição, muitas pessoas dão informações imprecisas sobre telefone, Código de Endereçamento Postal (CEP) e até sobre a  cidade onde moram. “E, quando vamos buscar esse doador na hora da seleção definitiva, isto é, na hora em que precisamos fazer o transplante, muitas vezes, o dado não está completo e fica difícil encontrar o doador. Acha-se o doador no sistema, acha-se a característica genética dele, mas o endereço está incompleto”. Por isso, é preciso fazer bem o cadastro no Redome, com as informações corretas, para que o doador seja encontrado com facilidade.

Bouzas explicou que, para a doação voluntária, é preciso estar em bom estado de saúde. “O doador não pode correr nenhum risco”. Para fazer parte do cadastro, a pessoa deve ter de 18 anos a 55 anos e não sofrer doenças infecciosas, sanguíneas ou câncer. “Porque  são doenças que podem ser transmitidas por meio do transplante”, alertou o médico. HIV, hepatite, sífilis, mal de Chagas e malária estão entre as doenças transmitidas pelo sangue que impedem uma pessoa de se tornar doadora de medula óssea. “São fatores limitantes para a doação de medula”.

Durante a gravidez, as mulheres não podem fazer a doação – é preciso esperar o bebê nascer. Outra exemplo de situação que impede a pessoa de ser doadora é a de alguém que se cadastrou aos 45 anos e, dez anos depois, ao ser selecionada, descobriu que está com câncer de próstata, doença cardiovascular ou diabetes descontrolado, disse Bouzas.  A seleção de doadores segue regras  internacionais.

Tags: atendimento, brasil, medula, SAÚDE, transplante

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.