Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Depois de não caber em aviões e montanhas-russas, mulher perde 70 kg

Portal Terra

A chef de cozinha Suzanne McDaid, de 41 anos e mãe de dois filhos, resolveu deixar para trás a condição de obesa mórbida e os 120 kg depois de seu marido dizer que ela se parecia com um dos competidores do programa de emagrecimento da TV The Bigget Loser. Segundo o site inglês Daily Mail, com a nova dieta ela passou de manequim 54 para o 42 e emagreceu quase 70 kg.

"Eu sempre tive problemas com meu peso, desde criança já era gordinha. Eu vim de uma família que não permitia que se saísse da mesa antes de terminar todo o prato, assim, logo a comida se tornou uma obsessão" conta. Suzanne lembra que aos 16 anos já vestia roupas tamanho 44 e, aos 18, já era manequim 46. Já muito acima do peso, ela decidiu trabalhar com comida, o que aumentou seu acesso irrestrito aos pratos menos saudáveis e também às noites de jantares com os amigos. "Ao invés de apenas comer, eu estava também cozinhando para outras pessoas", disse.

"Conforme minha carreira decolava, meu peso também aumentava. Eu não tinha tempo para me preocupar com isso, nem desejo de mudar meu estilo de vida. Eu simplesmente me tornei resignada ao fato de que sempre seria gorda", contou. Aos 26 anos e com mais de 95 kg, Suzanne ficou grávida do primeiro filho e enfrentou sérios problemas de artrite durante a gestação. Dois anos mais tarde, quando já contabilizava 107 kg na balança, descobriu que esperava o segundo filho.

Suzanne era chef de cozinha e nunca quis abrir mão de seu estilo de vida regado a jantares e comidas gordurosas
Suzanne era chef de cozinha e nunca quis abrir mão de seu estilo de vida regado a jantares e comidas gordurosas

Com o passar do tempo, mais quilos extras foram aparecendo, o que dificultou o trabalho, obrigando Suzanne a ficar em casa, além de comprometer os cuidados com os filhos. "Conforme meus filhos foram crescendo, eles passaram a fazer compras para mim porque eu  não queria sair de casa e eles tinham também que calçar minhas meias porque não conseguia tocar meus próprios pés por causa do tamanho da barriga", lembra.

Mas, escondida em casa, Suzanne nunca teve força de vontade suficiente para perder peso. Em uma ocasião, foi barrada nos brinquedos de um parque de diversões. "Eu não cabia em nenhuma das montanhas-russas e fiquei mortificada quando me falaram que era gorda demais para ir em um brinquedo que queria muito. Estava com uma amiga neste momento e fiquei muito constrangida. Depois disso, não tentei ir em nenhuma outra atração, mas a viagem perdeu toda a graça", conta.

Anos mais tarde, também se viu em um momento embaraçoso, quando não coube no assento do avião durante uma viagem para Cuba para celebrar o aniversário de casamento de um casal de amigos. "Estava com um grupo de amigos e, na hora, eu tentei rir da situação, mas, no fundo, eu estava muito triste". As promessas feitas no avião ficaram para trás assim que ela pousou em terra firme, arrumou um novo emprego como chef e se divorciou do marido.

A situação só piorou quando Suzanne conheceu seu atual companheiro, Charlie. "Ele sempre me disse que não sentia atração por mulheres magras, o que era ótimo para mim, já que eu era imensa", contou. Assim, a rotina do casal passou a ser regada a constantes jantares fartos e muitas noites em frente à TV, comendo salgadinho, batata frita, refrigerante e chocolate. Quando ficou grávida do terceiro filho, Suzanne ganhou ainda mais peso e enfrentou fortes dores nas costas, nos tornozelos e nos joelhos, além de ter sido diagnosticada com diabetes gestacional.

Mas, apesar de todos os inconvenientes causados pelo excesso de peso, foi só em uma noite qualquer diante da TV, com um saco imenso de batatas fritas nas mãos, que Suzanne encontrou forças e coragem para emagrecer. "Eu estava assistindo The Biggest Loser com Charlie e não pude deixar de pensar em como aquelas pessoas do programa puderam transformar elas mesmas naquilo. Então, reparei que eu tinha o mesmo peso que o vencedor do programa. Fiquei chocada e perguntei ao meu marido se eu me parecia com eles. Ele respondeu que, sinceramente, sim. Eu fiquei completamente devastada", conta.

Foi então que Suzanne se lembrou que uma amiga havia mencionado o Cambridge Weight Plan, um programa de emagrecimento baseado em sopas, shakes e barras de cereais. Nas primeiras três semanas, Suzanne conseguir eliminar quase 5 kg e passou a se sentir muito melhor consigo mesma. Em oito meses, ela perdeu quase 70 kg. "Minha relação com a comida mudou totalmente. Eu sou mais forte e muito mais feliz do que jamais fui. Sinto que estou dando uma nova chance à vida".

Tags: chef, cozinha, EUA, mórbida, obesidade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.