Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Ciência e Tecnologia

Artista cria montagens para mostrar que ideais de beleza pouco mudaram

Portal Terra

Fascinado com a noção de estética promovida pelo cinema norte-americano desde seus tempos áureos, o artista sueco George Chamoun elaborou um projeto interessante. Por meio de montagens com imagens sobrepostas de grandes nomes das telonas de décadas atrás com o dos anos atuais, ele quis provar como a ideia de beleza pouco mudou no último século - e, ao menos pela maneira como apresentou o projeto, ele alcançou o objetivo.

Batizada de Iconatomy (mistura das palavras ícone e anatomia), a série é classificada por Chamoun como uma investigação sobre os ideais de beleza no mundo do cinema, mostrando como símbolos da beleza do século XXI como Scarlett Johansson e Robert Pattinson são semelhantes àqueles que dominaram Hollywood nos anos 1950 - no caso deles, Marilyn Monroe e James Dean.

Para deixar claro seu objetivo, o artista, que vive na capital sueca, Estocolmo, traz a imagem dos ícones de antigamente em branco e preto e, em primeiro plano, a cores, completa o rosto dos personagem escolhidos com uma montagem de um famoso da atualidade. 

Natalie Portman, por exemplo, foi comparada a Audrey Hepburn, Angelina Jolie a Elizabeth Taylor e George Clooney a Cary Grant.

"Eu acho que o conceito de beleza se alterou, mas ainda temos os mesmos ideais de antes", explica o artista em entrevista à Q Magazine, publicada no site oficial do projeto. "A verdade é que hoje temos uma variedade maior do que é considerado bonito. E isso tem aumentado a cada dia", resume ele.

Tags: Arte, belo, chamoun, George, sueco

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.