Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Indonésia: ameaça de Tsunami permanece

Jornal do Brasil

Numa reunião da União Geofísica Americana no início deste mês, foi advertido que a costa do Oceano Índico, no norte de Sumatra poderia sofrer outra catástrofe do tsunami em apenas 60 anos. O consolo para os sobreviventes de que a falha tectônica no mar que causou o tremor levaria muitos séculos para acontecer de novo, não mais prevalece, alerta uma matéria da revista Science desta semana.

A notícia preocupante foi dada por pesquisadores, que desenterraram registros de tsunamis no Observatório da Nanyang Technological University, em Cingapura. Os pesquisadores Charles Rubin, Kerry Sieh, Jessica Pilarczyk e outros, estavam lendo histórias milenares de tsunamis, e encontraram três tipos de registros geológicos e determinaram a idade de cada tsunami que estava registrada, usando a radioatividade por carbono 14.

A revista relata ainda que o mais novo registro foi encontrado numa caverna a 200 metros da costa. Só a extensão de um tsunami pode transportar areia para essa caverna. Foi o suficiente para os pesquisadores notarem que essas cavernas eram demarcadas por camadas escuras de guano, depositados entre tsunamis por morcegos que residem nestas cavernas.

Os novos registros pintaram um quadro altamente irregular dos tsunamis. Dois tsunamis atingiram a costa norte de Sumatra, cerca de 600 anos dos tsunamis de 2004. Anterior a isso, a data mais precisa de um coral erguido por terremotos no mar, mostram um intervalo de 60 anos. No entanto os registros de tsunamis na caverna mostra um intervalo de 1900 a 5.400 anos atrás, e um depósito de tsunami foi previsto há cerca de 3.300 anos atrás. Em seguida cinco tsunamis menores, a julgar pela espessura de seus depósitos, pode atingir a caverna nos próximos 500 anos. “A conclusão básica parece ser que grandes tsunamis variam de apenas 60 anos, para cerca de 2000 anos", diz Sieh em um e-mail.

"Parece que a Mãe Natureza tem este comportamento caprichoso", diz o sismólogo Emile Okal da Universidade de Northwestern, em Evanston, Illinois, que não esteve envolvido no trabalho. “Nós poderíamos estar em alguma coisa nos próximos 50 a 100 anos”. Isso é um tanto intrigante e um tanto assustador. “Descobrir que com uma única falha no mar podem se romper talvez em uma seqüência de diferentes segmentos para a produção de uma história tão variada de tsunamis serão necessários muitos mais registros como o de caverna”. Finaliza a matéria da revista

Tags: caverna, natureza, Produção, registros, tsunami

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.