Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Site do McDonald's aconselha que funcionários não comam fast food

Portal dizia que hambúrguer, batata frita e refrigerante não são uma escolha saudável

Portal Terra

O site de recursos humanos do McDonald's tem dado conselhos um tanto estranhos para seus funcionários, considerando que é a mais famosa rede de fast food do mundo. A empresa publicou dicas de saúde nas quais aconselha os funcionários a evitarem comerem hambúrgueres e batatas fritas e priorizar uma alimentação saudável baseada em saladas. As informações são do site The Huffington Post. O site já foi tirado do ar.

"Fast food são comidas rápidas, com preço acessível e alternativas razoáveis para se alimentar fora de casa, convenientes apara uma estilo de vida ocupado. No entanto, são tipicamente muito calóricas, gordas, ricas em gordura saturada, açúcar e sal e podem colocar muitas pessoas em risco de serem obesas", diz o site publicado neste site da empresa. A foto que ilustra o comentário indica um combo de hambúrguer, batata frita e refrigerante como "escolha não saudável" e uma combinação de sanduíche mais leve, salada e água como "escolha mais saudável".

Imagem do texto indica que combo vendido nas lojas da rede é escolha menos saudável
Imagem do texto indica que combo vendido nas lojas da rede é escolha menos saudável

De acordo com a publicação do site corporativo, é difícil ter uma dieta equilibrada quando não se consegue evitar os restaurantes que servem este tipo de alimento, no entanto, é preciso ao menos, pedir porções menores - principalmente de batatas fritas -, já que os pacotes muito grandes faz com que as pessoas comam demais. 

"Em geral, pessoas com pressão alta, diabetes e doenças cardíacas devem ter cuidado ao escolher fast food, principalmente por causa dos altos índices de gordura, sal e açúcar", diz outra parte do texto.

Segundo o site The Huffington Post, as informações publicadas nesta página voltada à força de trabalho do McDonald's são de responsabilidade de terceiros e, procurada, a empresa disse que estava investigando o episódio. No entanto, esta não é a primeira vez que o site expõe notícias deste tipo.

No último mês, foram publicadas sugestões de novos trabalhos aos funcionários. O texto detalhava cargos de babás, personal trainer e limpadores de piscinas e comparava os salários. Na época, a empresa disse à emissora CNBC que estava avaliando o material que, mais uma vez, havia sido feito por uma empresa terceirizada.

Apesar do site ser voltado para os funcionários da rede, o cadastro exige apenas um e-mail e senha e não confere se quem pretende usá-lo faz mesmo parte da folha de pagamento da companhia.

A repercussão deste escândalo do consumo de fast food vem em um momento de confronto com a política da indústria, que tenta desvincular sua imagem de alimentos gordurosos e inclui em seu cardápio mais frutas e vegetais. Recentemente, o CEO do McDonald's Don Thompson afirmou: "nós não vendemos junk food".

Tags: comida, fastfood, funcionários, mcdonald's, saudável

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.