Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Drone brasileiro, Arara II, realiza voo nos EUA

Portal Terra

Pela primeira vez um drone ou Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant)  brasileiro realizou um voo no espaço aéreo dos Estados Unidos. O drone faz parte do projeto de pesquisa entre a USP São Carlos, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), a Universidade de Purdue (USA) e a empresa AGX Tecnologia. O voo foi realizado no último dia 14 de novembro em West Lafayette (Indiana). O drone ARARA é uma aeronave precursora no Brasil no voo autônomo de Vants de asa fixa em 2005.

O Vant ou drone utilizado, a segunda versão do ARARA (Aeronave de Reconhecimento Assistidas por Rádio e Autônoma), foi originalmente desenvolvida em conjunto pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP São Carlos, pela Embrapa – unidade do Centro Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento em Instrumentação Agropecuária (Cnpdia) e a AGX, dentro do projeto coordenado pelo pesquisador Onofre Trindade Jr (ICMC-USP).

O coronel aviador André Pierre Mattei, professor do ITA e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC), participou do experimento no papel de principal articulador da parceria entre os centros de pesquisa envolvidos do Brasil e EUA e a AGX.

“Este voo do ARARA II é histórico para a indústria nacional de drones”, ressalta Mattei. Também participaram dos trabalhos em Indiana o diretor de Pesquisa & Desenvolvimento da AGX Tecnologia, Luciano de Oliveira Neris e Alexandre Di Giovani, o piloto mais experiente em operação de Vants civis da América Latina.

O voo pioneiro de um drone brasileiro nos EUA foi realizado na Fazenda Experimental da Universidade de Purdue, que possui o Certificate of Authorization or Waiver (CAW), uma permissão vigente nos EUA para esse tipo de voo. O feito foi realizado em condições atmosféricas adversas com a proximidade do inverno no hemisfério norte, estação que traz ventos fortes especialmente na região do meio-oeste americano, além de temperaturas muito baixas.

“O drone ARARA já havia mostrado no Brasil que pode cumprir missões em temperaturas escaldantes. Agora foi o batismo dele abaixo de zero, com um clima congelante”, comemora o presidente da AGX, o empresário Adriano Kancelkis.

Tags: brasil, CIÊNCIA, conquista, ESPAÇO, pioneiro, tecnologia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.