Jornal do Brasil

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Ciência e Tecnologia

Fapesp e Natura vão criar centro de pesquisa aplicada em bem-estar

Jornal do Brasil

A Fapesp e a Natura lançaram, no dia 26 de novembro, uma chamada de propostas de pesquisa para a criação de um Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano. A chamada é resultado do acordo de cooperação firmado entre as duas instituições.

O futuro centro será voltado para pesquisas nas áreas de neurociência, psicologia positiva, psicologia social, neuroimagem, neuropsicofisiologia, psicometria, estudos populacionais e longitudinais, modelagem e construção de indicadores matemáticos.

O objetivo das pesquisas será a estruturação de uma base sólida para a avaliação e promoção do bem-estar da população brasileira, estabelecendo marcadores científicos, com medição neurológica de percepção, atenção e memória a partir de uma avaliação cultural e de hábitos.

Inspirado nos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, o centro em parceria com a Natura receberá aporte de recursos de até R$ 2 milhões por ano, por um prazo de dez anos, totalizando um investimento de R$ 20 milhões, compartilhado igualmente por ambas as instituições.

Ao longo do mesmo período, a previsão é de que um valor equivalente seja despendido pela instituição que sediar o centro de pesquisas, em forma de salários e despesas operacionais.

Nesse período, serão apoiados projetos de pesquisa científica e tecnológica cooperativos, a serem desenvolvidos entre pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa públicas ou privadas, localizadas no Estado de São Paulo, e da Natura.

Para o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, o modelo do centro de pesquisas levará ao desenvolvimento de pesquisas avançadas, com grande potencial de aplicação.

“Essa chamada de propostas de pesquisa resulta de um esforço conjunto da FAPESP e da Natura para estimular pesquisa avançada, internacionalmente competitiva. Inspirado no modelo dos CEPIDs, o centro de pesquisas que virá a ser selecionado deverá abrir espaço para a pesquisa científica na fronteira do conhecimento e, ao mesmo tempo, com resultados voltados para aplicações e inovação”, disse Brito Cruz.

Gerson Valença Pinto, vice-presidente de Inovação da Natura, afirmou que as pesquisas desenvolvidas pela Natura estão intrinsecamente ligadas ao desenvolvimento de produtos e serviços voltados ao bem-estar das pessoas. “A Natura é a primeira empresa brasileira com uma iniciativa nessa modalidade, o que demonstra sua visão e comprometimento com pesquisa e inovação, importantes pilares para a condução dos nossos negócios.”

Transferência de conhecimento

Todas as propostas de pesquisa para a criação do centro deverão ser submetidas pelos pesquisadores em inglês. O processo de avaliação incluirá entrevistas com o pesquisador responsável pela proposta, com sua equipe e com dirigentes da instituição sede, além de visitas às sedes candidatas a receber o centro. Ao final do processo de avaliação, a FAPESP e a Natura poderão recomendar ajustes ou mesmo a fusão de diferentes propostas.

Os projetos podem ser propostos por pesquisadores com título de doutor ou qualificação equivalente, mas apenas se houver vínculo formalizado com uma instituição de pesquisa no Estado de São Paulo. Também são requisitos uma expressiva produção científica ou tecnológica e liderança demonstrada em projetos de pesquisa de grande porte. Experiência e competência comprovadas na área em que se insere o projeto são consideradas fundamentais.

Para o centro selecionado, o financiamento será inicialmente concedido por dois anos, podendo ser renovado por mais quatro períodos de dois anos. O prazo final para a apresentação de propostas é 14 de março de 2014. A divulgação dos projetos aprovados está programada para setembro de 2014.

De acordo com a chamada de pesquisas, a complexidade de problemas a serem pesquisados exigirá uma abordagem interdisciplinar. Também será necessária uma interação contínua entre os membros das equipes escolhidas, para a consecução dos objetivos científicos, de transferência de conhecimento e de difusão dos resultados.

Para tanto, os projetos aprovados poderão beneficiar-se de programas da Fundação como o de Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) e o de Pesquisas sobre Políticas Públicas. Pequenas empresas que incorporarem resultados de pesquisas conduzidas no centro, elas poderão beneficiar-se do Programa de Inovação em Pequenas Empresas (PIPE).

Um dos objetivos do Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano é que o resultado dos estudos desenvolvidos seja transferido para a sociedade. Isso inclui os setores empresarial, não governamental e público.

Pesquisa científica e inovação

De acordo com o vice-presidente de Inovação da Natura, entre 2,5% e 3% do faturamento líquido da empresa é investido em inovação. “Nossa estratégia se baseia em bem-estar nas relações, em tecnologias sustentáveis e em pesquisas cosméticas. Para crescermos baseados nesses três vetores, as ciências humanas são imprescindíveis”, disse.

Ele acredita que investimentos em novos produtos e em tecnologia precisam ter um forte componente de inovação e que os princípios de dinamismo e de operação da empresa devem ajudar a completar o ciclo da pesquisa científica.

Durante o lançamento da chamada de propostas, o diretor científico da Fundação observou a importância de manter próximo o contato entre os pesquisadores do futuro centro e da empresa. “Precisamos tratar temas complexos com a ousadia que esses temas requerem. Temos experiência de dez anos em ações conjuntas, mas agora o objetivo é mais ousado. Construímos uma relação sofisticada, porque buscamos resultados sofisticados”, disse Brito Cruz.

Agência Fapesp

Tags: CIÊNCIA, fapesp, pesquisa, SAÚDE, tecnologia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.