Jornal do Brasil

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

País - Carnaval 2018

Cordão do Boitatá e outros blocos de rua garantem alegria nas ruas do Rio

Jornal do Brasil*

Os cariocas e turistas acordaram cedo neste domingo (4) para aproveitar as dezenas de blocos programados para ocupar as ruas do Rio de Janeiro. Ainda no pré-Carnaval, cada canto da capital fluminense teve foliões purpurinados e fantasiados. Marcado para as 8h, o já tradicional bloco Cordão do Boitatá voltou a atrair os cariocas. 

"Eu acompanho o Boitatá há anos e acho importante essa história de preocupação em promover um carnaval mais participativo, que pensa a relação com a cidade", disse jornalista Leonardo Cazes à Agência Brasil

Os estandartes oficiais do bloco lembravam sambistas importantes como Cartola, Chico Buarque, Pixinguinha e dona Ivone Lara. "A música de carnaval do Brasil é maravilhosa e é recheada desses grandes mestres. Quando vamos para a rua, carregamos toda essa história", contou o músico Kiko Horta, um dos fundadores do Cordão do Boitatá, à agência.

O bloco surgiu há 22 anos e o primeiro desfile teve como ponto de concentração os arcos da Lapa. Em 2000, os organizadores decidiram adotar como palco principal a Praça XV, para levantar a discussão sobre o processo de ocupação e revitalização do Centro do Rio.

O Cordão do Boitatá se apresenta no domingo de Carnaval (11). Kiko Horta conta que este será o tradicional baile multicultural na Praça XV. "É um bloco acústico formado por mais de 100 músicos, alguns de escolas de samba, de várias partes da cidade, profissionais e amadores."

Outros destaques deste domingo pré-Carnaval foram o bloco já também tradicional Gigantes da Lira, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, que animou foliões bebês, crianças e adultos com sua estética e astral lírico e circense. O Bloco da Preta, no Centro do Rio, arrastou cerca de 450 mil pessoas. A cantora Pablo Vittar marcou presença como convidada especial.

No Flamengo, o bloco Chora Me Liga atraiu uma multidão. A dupla João Lucas & Matheus comandou o trio elétrico interpretando os sucessos do sertanejo. 

Foto aérea do Bloco Chora Me Liga
Foto aérea do Bloco Chora Me Liga

Desde 2004 levando para as ruas do Rio de Janeiro a bandeira da luta antimanicomial, o bloco Tá Pirando, Pirado, Pirou realizou na tarde deste domingo (4) um desfile em homenagem a cantora e compositora Dona Ivone Lara. O cortejo se concentrou às 15h na Avenida Pasteur, no bairro da Urca. De lá, os foliões seguiram até a entrada do Bondinho do Pão de Açúcar. Dona Ivone Lara trabalhou como enfermeira e assistente social em hospitais psiquiátricos de 1947 a 1977. Nessa trajetória, atuou também no Serviço Nacional de Doenças Mentais junto com a doutora Nise da Silveira, uma das principais referências da luta antimanicomial no Brasil.

A música tema Dona Ivone Lara, orgulho brasileiro deu o tom do desfile. "Hoje o Tá Pirando se agiganta e o mundo do samba levanta para homenagear Dona Ivone Lara, nossa diva popular", diz um dos versos escritos por André Cabral. "É uma maneira de desinstitucionalizar a loucura. O sofrimento existe, às vezes é difícil. Mas ainda assim, existe alegria. Numa tarde como hoje, independentemente dos sofrimentos psíquicos de cada um, estão todos aqui felizes e extrovertidos. Ninguém precisa sofrer todo dia. O bloco é uma iniciativa fantástica de inclusão social", disse o compositor.

Neste sábado (3), os destaques foram o bloco Céu na Terra, em Santa Teresa, que atraiu 10 mil pessoas; o Bloco Brasil, com 15 mil pessoas; o Pérola da Guanabara, em Paquetá, com 10 mil pessoas; o Simpatia é quase amor, que reuniu 35 mil pessoas; e o Bloco Cocoloko, com 15 mil foliões reunidos. 

>> Confira programação dos blocos de rua no Rio deste domingo

* Com informações da Agência Brasil

Tags: bloco, carnaval, centro, pré-carnaval, rio de janeiro, rua, zona sul

Compartilhe: