Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

País - Carnaval 2018

Cordão do Boitatá e outros blocos de rua garantem alegria nas ruas do Rio

Jornal do Brasil *

Os cariocas e turistas acordaram cedo neste domingo (4) para aproveitar as dezenas de blocos programados para ocupar as ruas do Rio de Janeiro. Ainda no pré-Carnaval, cada canto da capital fluminense teve foliões purpurinados e fantasiados. Marcado para as 8h, o já tradicional bloco Cordão do Boitatá voltou a atrair os cariocas. 

"Eu acompanho o Boitatá há anos e acho importante essa história de preocupação em promover um carnaval mais participativo, que pensa a relação com a cidade", disse jornalista Leonardo Cazes à Agência Brasil

Os estandartes oficiais do bloco lembravam sambistas importantes como Cartola, Chico Buarque, Pixinguinha e dona Ivone Lara. "A música de carnaval do Brasil é maravilhosa e é recheada desses grandes mestres. Quando vamos para a rua, carregamos toda essa história", contou o músico Kiko Horta, um dos fundadores do Cordão do Boitatá, à agência.

O bloco surgiu há 22 anos e o primeiro desfile teve como ponto de concentração os arcos da Lapa. Em 2000, os organizadores decidiram adotar como palco principal a Praça XV, para levantar a discussão sobre o processo de ocupação e revitalização do Centro do Rio.

O Cordão do Boitatá se apresenta no domingo de Carnaval (11). Kiko Horta conta que este será o tradicional baile multicultural na Praça XV. "É um bloco acústico formado por mais de 100 músicos, alguns de escolas de samba, de várias partes da cidade, profissionais e amadores."

Outros destaques deste domingo pré-Carnaval foram o bloco já também tradicional Gigantes da Lira, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, que animou foliões bebês, crianças e adultos com sua estética e astral lírico e circense. O Bloco da Preta, no Centro do Rio, arrastou cerca de 450 mil pessoas. A cantora Pablo Vittar marcou presença como convidada especial.

No Flamengo, o bloco Chora Me Liga atraiu uma multidão. A dupla João Lucas & Matheus comandou o trio elétrico interpretando os sucessos do sertanejo. 

Foto aérea do Bloco Chora Me Liga

Desde 2004 levando para as ruas do Rio de Janeiro a bandeira da luta antimanicomial, o bloco Tá Pirando, Pirado, Pirou realizou na tarde deste domingo (4) um desfile em homenagem a cantora e compositora Dona Ivone Lara. O cortejo se concentrou às 15h na Avenida Pasteur, no bairro da Urca. De lá, os foliões seguiram até a entrada do Bondinho do Pão de Açúcar. Dona Ivone Lara trabalhou como enfermeira e assistente social em hospitais psiquiátricos de 1947 a 1977. Nessa trajetória, atuou também no Serviço Nacional de Doenças Mentais junto com a doutora Nise da Silveira, uma das principais referências da luta antimanicomial no Brasil.

A música tema Dona Ivone Lara, orgulho brasileiro deu o tom do desfile. "Hoje o Tá Pirando se agiganta e o mundo do samba levanta para homenagear Dona Ivone Lara, nossa diva popular", diz um dos versos escritos por André Cabral. "É uma maneira de desinstitucionalizar a loucura. O sofrimento existe, às vezes é difícil. Mas ainda assim, existe alegria. Numa tarde como hoje, independentemente dos sofrimentos psíquicos de cada um, estão todos aqui felizes e extrovertidos. Ninguém precisa sofrer todo dia. O bloco é uma iniciativa fantástica de inclusão social", disse o compositor.

Neste sábado (3), os destaques foram o bloco Céu na Terra, em Santa Teresa, que atraiu 10 mil pessoas; o Bloco Brasil, com 15 mil pessoas; o Pérola da Guanabara, em Paquetá, com 10 mil pessoas; o Simpatia é quase amor, que reuniu 35 mil pessoas; e o Bloco Cocoloko, com 15 mil foliões reunidos. 

>> Confira programação dos blocos de rua no Rio deste domingo

* Com informações da Agência Brasil



Tags: bloco, carnaval, centro, pré-carnaval, rio de janeiro, rua, zona sul

Compartilhe: