Jornal do Brasil

Domingo, 18 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

País - Carnaval 2018

Rio tem sábado pré-Carnaval com sol e diversos blocos de rua

Jornal do Brasil*

O último sábado antes do início oficial do Carnaval no Rio de Janeiro garantiu sol e céu azul aos cariocas e turistas que estão na cidade. Uma das ligas de blocos do Rio, a Amigos do Zé Pereira chega ao sexto carnaval consecutivo, mantendo sua característica principal, a diversidade da folia de rua carioca. Os oito blocos que compõem a liga – Orquestra Voadora, Céu na Terra, Quizomba, Toca Rauuul, Último Gole, Vagalume o Verde, A Rocha e Laranjada – dividem-se entre o centro e a Zona Sul da cidade. O primeiro a desfilar foi o Céu na Terra, neste sábado (3), em Santa Teresa.

De acordo com o presidente da Liga, Rodrigo Rezende, os componentes da associação foram escolhidos entre aqueles que pudessem traduzir o que é, hoje, o carnaval de rua na cidade do Rio de Janeiro. “É uma coisa absolutamente diversa, muito além do samba, apesar de o samba ser muito reverenciado”, disse Rezende à Agência Brasil.

>> Confira programação de blocos de rua no Rio deste sábado

A liga é apadrinhada pelo Cordão da Bola Preta, tradicional bloco de rua que chegou ao centenário este ano. Por isso, a liga tem toda uma reverência pelo carnaval tradicional, mas, ao mesmo tempo, busca trazer melhor uma organização para a festa nas ruas e foca na ampliação dos horizontes, explicou Rezende. “Uma coisa diversa, como é a nossa cidade”, disse ele, revelando que a liga espera reunir nos desfiles deste ano de 350 mil a 400 mil foliões.

Desfiles dos blocos da liga Amigos do Zé Pereira atraem milhares de foliões 
Desfiles dos blocos da liga Amigos do Zé Pereira atraem milhares de foliões 

Programação

Um dos mais tradicionais e mais coloridos blocos de rua do Rio de Janeiro, o Céu na Terra foi o primeiro membro da liga a desfilar. A concentração foi neste sábado, às 6h30, no Largo dos Guimarães, em Santa Teresa. “É um bloco que simboliza a retomada, a redescoberta do carnaval de rua pelo grande público. É um dos blocos precursores disso”, destacou Rezende.

Para ele, o Céu na Terra é um núcleo de cultura que desenvolve uma série de trabalhos, como autos de Natal e orquestra popular. “O bloco de carnaval é um deles, o mais conhecido”. São 80 músicos, entre ritmistas, sopros e harmonia. O bloco volta a se apresentar no dia 10, sábado de carnaval, no mesmo local. Os foliões mantêm a tradição de brincar fantasiados. “E é um bloco fundamentalmente de marchinhas.”

Neste domingo (11), saem o Toca Rauuul!, o Exagerado e o Laranjada. Criado em 2012 para homenagear Raul Seixas, considerado o "pai" do rock nacional, o bloco se apresenta às 16h na Praça Tiradentes, no Centro da cidade,  dividindo o palco com o Exagerado, que homenageia o cantor e compositor Cazuza. O tema do Toca Rauuul! este ano é Pare o Mundo que Eu Quero Descer. O bloco tem 15 ritmistas e espera a participação de 10 mil foliões.

A concentração do Laranjada começou às 9h, na Praça Jardim Laranjeiras, na Rua General Glicério, em Laranjeiras. Desde 2003, o bloco promove o encontro entre asfalto e morro. São 100 ritmistas, e a bateria Puro Suco reúne músicos do bairro de Laranjeiras e do Morro Santa Marta, em Botafogo. Com o tema Carnaval, festa do povo, o Laranjada pretende atrair 7 mil foliões.

Na segunda-feira, a Liga faz uma pausa "para respirar" e volta com tudo na terça-feira (6), com quatro blocos: Orquestra Voadora; A Rocha, da Gávea; Vagalume o Verde e Último Gole.

A Orquestra Voadora foi formada em 2008, e é considerada a “mãe” do movimento de neofanfarrismo. Primeiro e maior bloco de fanfarras, atraiu cerca de 150 mil pessoas em seu desfile pelo Aterro do Flamengo. O repertório passeia pelo frevo, maracatu, xote, rockfunk, samba e jazz. O bloco conta com 350 músicos e cerca de 100 pernaltas.

O Vagalume o Verde foi criado na região do Horto, no Jardim Botânico, e tem uma “pegada” mais ecológica. Para o desfile deste ano, o tema escolhido foi A Fauna e a Flora da Mata Atlântica. O bloco vai plantar espécies nativas da Mata Atlântica para compensar sua passagem no carnaval. Em todos os desfiles, os foliões d'O Vagalume e o Verde recolhem material reciclável e incentivam a coleta seletiva de lixo.

O bloco A Rocha foi formado há cerca de 10 anos na Gávea por estudantes da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e tem 100 ritmistas. Como o tema deste ano é Brincadeira de Criança, Como é Bom, os ritmistas do bloco sairão fantasiados de personagens do Sítio do Picapau AmareloCastelo Ratimbum e Turma da Mônica. Músicas infantis serão tocadas em ritmo de samba. A concentração será às 8h, na Praça Santos Dumont, no Jóquei, e o desfile começará uma hora depois. A previsão é que participem 10 mil foliões. “São várias gerações. Entram na PUC e começam a participar. Depois de formados, continuam participando”, comentou o presidente da Liga.

Bloco de bairro, que desfila no Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio, o Último Gole está fazendo 20 anos de história no carnaval. É um bloco parado, formado por amigos que amam o samba e que se inspiram em nomes como Cartola, Nelson Cavaquinho, Almir Guineto e Zeca Pagodinho, entre outros compositores. A apresentação vai das 16h às 22h, e o Último Gole espera atrair 7 mil foliões.

Quizomba

No primeiro sábado depois do carnaval (17), o Quizomba renova a folia no Circo Voador, região da Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. Tendo como madrinha a cantora Roberta Sá, a agremiação escolheu o tema África e se apresentará com 140 ritmistas. O repertório mistura diversos estilos e cria arranjos para canções de sucesso de diversos artistas. O desfile vai dos Arcos da Lapa até a Rua Augusto Severo e volta pela Rua Mem de Sá até chegar ao Circo Voador. O Quizomba espera receber 15 mil foliões e tem pré-carnavalesco marcado para o próximo dia 9, no Clube Monte Líbano, no Leblon, zona sul do Rio.

* Da Agência Brasil

Tags: 2018, carnaval, enredo, escola de samba, inscrição, participação

Compartilhe: