Jornal do Brasil

Domingo, 24 de Junho de 2018 Fundado em 1891
Hildegard Angel

Colunistas - Hildegard Angel

Arnaldo Danemberg, o expedicionário das antiguidades 

Jornal do Brasil

Um Jules Verne do mobiliário, Arnaldo Danemberg sai Europa afora, como um expedicionário dos velhos tempos, explorando mundos, montanhas, paisagens desconhecidas, coletando histórias, perfumes e sabores. Não digo um navegador solitário, pois costuma levar consigo a filha, Paloma, e às vezes a família toda. Arnaldo e seus mateiros em busca do mobiliário desconhecido. 

Não se arrisca a cavalgar nos cavalos de carrosséis, que arrecada às dezenas em suas caminhadas, nem em balões, como nos contos de Verne, mas seu caminhão também é veículo poético e inspirador. Ele o dirige, trafegando pelas estradas da Europa, no que chama de “Le Grand Tour”. Especialista em mobiliário europeu, Danemberg garimpa para seus antiquários do Rio e de São Paulo peças escolhidas a pinça. Quando volta, tem sobre cada uma delas um fato, uma recordação a compartilhar. 

Arnaldo Danemberg faz pausa em sua expedição em busca do “tesouro’ do antiquariato europeu; Arnaldo confere o caderno de anotações de viagem com a filha

Entre uma parada e outra nessas expedições, ele anota histórias e lembranças de pessoas e lugares, além de sabores de pequenos e notáveis restaurantes que tem o prazer de vivenciar pelo caminho. Hoje, são blocos e blocos, diários e diários, moleskines e moleskines, que serão transformados em livro a ser lançado ainda este ano, revelando o dia a dia de sua profissão.

A cada capítulo, lembranças, vivências e sabores das viagens que realiza para garimpar suas antiguidades, ao longo de seus mais de 35 anos de carreira.

>> Para quem ama o flamenco, vem aí Maria Pagés, antiga dançarina da companhia de Antonio Gades, ela é a grande atração internacional prevista para se exibir no Teatro Municipal do Rio, no próximo semestre. Olé!

>> Abre as portas no dia 15 de setembro, na cidade de Dundee, na Escócia, o V&A Museum of Design, primeiro do país dedicado ao tema. A exposição inicial focará engenharia e interiores de transatlânticos, até 24 de fevereiro de 2019. 

>> Dados da Ancine: 181 milhões espectadores assistiram a filmes nacionais na última temporada. Chegaram às telonas 158 novos títulos, um recorde, com o faturamento em ingressos de 2,7 milhões. A crise é grande, o mercado está em baixa, a Netflix atrapalha, mas o cinema nacional ainda dá bom caldo. Pina Bausch vem aí. Ou melhor, vai ali. Em São Paulo. A companhia da coreógrafa alemã, das mais respeitadas da Europa, vai se apresentar em novembro e dezembro no teatro Alfa.

>> Mudança de Guarda no Conselho de Cultura da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Sai o presidente Ricardo Cravo Albin, entra no lugar Vera Tostes, ex-diretora do Museu Histórico Nacional. Como seu vice, Reinaldo Paes Barreto, o especialista em vinhos e gastronomia. A turma vai passar bem. Do Estômago.

>> Não bastasse a nossa ativa Polícia Federal, agora vêm as polícias de fora perturbar os milionários daqui, ai, ai... Deu a “justa” francesa no Golden Green da Barra da Tijuca. E naquela cobertura preciosa, esculpida a mármore italiano importado pelo milionário das quentinhas Jair Coelho, e que depois foi arrematada em leilão por uma cubana, Tamara, casada com um sócio do Minoro Dondo. 

>> A venda daquela cobertura já começou nebulosa. Foi a leilão devido aos atrasos no pagamento dos condomínios. Na data do martelo, a família proprietária foi lá e depositou no prazo a dívida, saldando a guia do condomínio no Banco do Brasil. A cubana lançou, mas só depositou 14 dias depois do prazo. Mesmo assim levou o apartamento, em que agora a Polícia Francesa entrou e vasculhou.

>> Até o dia 8 de julho, quem for a Paris, poderá ver, no Museu de Artes Decorativas uma exposição única de 230 joias desenhadas por grandes mestres. Peças de Picasso, Jell Koons, Alexander Colder e Niki de Saint Phalle, pertencentes à colecionadora Diane Venet. O museu fica ao lado do Louvre.

BORBULHANTES

Dona Marisa Letícia Lula da Silva completou um ano de morte em fevereiro, e sua biografia está em fase de conclusão, para lançamento em breve, pelo jornalista Camilo Vannuchi... O escritor é ativo blogueiro do Brasil 247, membro da Comissão Nacional da Verdade da Prefeitura de São Paulo, doutorando em Comunicação da USP e carrega nas costas um jabuti, digo, um Prêmio Jabuti de Livro Didático... Aliás, os jabutis são tendência deste verão, desde a Operação Jabuti da Polícia Federal, que na ocasião nos ensinou que “jabuti não sobe em árvore, tem que botar ele lá”, até o Prêmio Jabuti do Silviano Santiago, romance de 2017 sobre Machado de Assis, que vai virar minissérie de cinco capítulos na TV, com assinatura do produtor cinematográfico Luiz Carlos Barreto... No filme O Paciente, sobre o caso médico de Tancredo Neves na véspera da posse, que acabou o levando à morte, as cenas mais impressionantes são as do dramático cortejo fúnebre, acompanhado por manifestação popular maior que já se viu, superando até o funeral de Ayrton Senna... Essas cenas não serão reconstituídas, serão as do arquivo jornalístico de TV. Foi a alternativa do diretor Sérgio Rezende... Já os bastidores médicos, o dia a dia do paciente Tancredo, desde sua internação, tudo isso é cena de cinema, baseado em documentos reais, do livro de mesmo nome, O Paciente, do dr. Luís Mir, que fez o registro diário do protocolo médico... Também foram aproveitados documentos preciosos coletados ao longo de anos... Foi descartada qualquer teoria conspiratória, como a de Leonel Brizola, que insistia que Tancredo havia sido assassinado... Talvez a cena mais inquietante do filme seja a invasão da sala de cirurgia por vários políticos vindos de uma recepção para chefes de Estado em Brasília para a posse... Ao saberem da operação do presidente eleito, os puxa-sacos não quiseram saber, e sem qualquer assepsia invadiram o ambiente da sala esterilizada, com a cirurgia rolando, dizem que alguns até levando o copo de uísque (não sei se isso o filme mostra), para demonstrar intimidade, marcar presença e importância... Não cogitavam que podiam estar dando um empurrãozinho na mão da Morte... Do núcleo familiar de Tancredo, há no elenco os personagens dona Risoleta, o filho Tancredinho, a filha Inês Maria Faria, o neto Aécio Neves, então secretário particular do avô, num papel secundário, como era efetivamente sua atuação na vida política, na época... A filha Maria do Carmo e a neta Andréa Neves não foram contempladas com personagens... A família Neves não participou da produção ou do roteiro, não colaborou nem foi consultada, segundo a produtora Mariza Leão...  Com o apoio do Ministério da Cultura e da Ancine, a prefeitura de Niterói traçou um programa voltado para tornar a cidade fluminense num novo polo do audiovisual brasileiro. A primeira faculdade de cinema do país localiza-se nela, na UFF...

                                                                       ***

No segundo semestre será lançado o perfume “Ai, que loucura!”, de Narcisa Tamborindeguy, pela Ultrafarma. Ela diz: “Já aprovei o gosto”. O gosto!

Cuidado ao se pesar nas farmácias de Ipanema. Uma mulher bem vestida se oferece para segurar as bolsas das distraídas que se pesam nas balanças digitais e... foge



Tags: angel, borbulhantes, colunista, hildegard, jb

Compartilhe: