Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018 Fundado em 1891

País - Artigo

Favela, uma solução

Jornal do Brasil Davison Coutinho

É com orgulho que retorno às páginas do JORNAL DO BRASIL, agora de volta às bancas e com o compromisso maior de levar a verdade aos seus leitores. Ao pensar sobre o que escrever, me dei conta da necessidade de reforçar a importância das favelas que hoje, ou melhor historicamente, são abordadas apenas como um grande problema.  

O ano de 1897 marcou o início da ocupação dos morros cariocas e passados mais de 120 anos, as favelas se multiplicaram: segundo IBGE (2010), 1,7 milhões de pessoas moram em favelas no Rio de Janeiro. O passado e o presente destes espaços são resultados da política exercida pelo poder público e nos fazem refletir se as favelas são de fato apenas um problema. Para tal nos reportamos a história das favelas, publicada no Jornal do Brasil em 1903: 

“Com a posse do prefeito Pereira Passos, ficou claro que o Rio de Janeiro deixará de ser uma cidade fétida e assolada pelas doenças (...) Pobres, os moradores dos cortiços só têm como opção de moradia juntar-se aos soldados vindos de Canudos, que se fixaram em barracos no Morro da Favela, antigo Morro da Providência” No trecho acima, vemos o início da história das favelas e podemos conhecer como a política de remoção da cidade intensificou a ocupação dos morros. A favela foi (e continua) inevitável no momento em que não houve (e que não há) alternativa. Desde a origem das favelas e também nos dias de hoje, muitas pessoas, políticos e instituições veem as favelas apenas como um grande problema social. No entanto, devemos refletir a importância destes espaços para o Rio de Janeiro. Darcy Ribeiro defendeu a tese “Favela não é problema, é solução”. E de fato as favelas foram a solução para o Rio de Janeiro. São várias as hipóteses que confirmam tal tese. 

As favelas serviram e servem para abrigar aqueles que não tem para onde ir. Elas abrigaram os escravos, os soldados e os trabalhadores pobres. Todos os operários que construíram essa cidade e movimentavam a economia da cidade, precisavam de um lugar próximo de seus trabalhos para morarem. 

Nos dias de hoje, a população continua a usar a mão de obra destes trabalhadores que moram perto de seus trabalhos, garantido o atendimento da população em diversos serviços. Além da mão de obra, as favelas do Rio também são importantes para economia e movimentam mais de 12 bilhões de reais por ano. A cultura da favela é inegável, nela se originaram diferentes movimentos culturais. A favela é o berço do samba, do funk e de muitas outras produções culturais que representam o nosso país mundo afora. Não se pode negar a importância das favelas. É preciso seriedade para que a sociedade e nossos representantes entendam as favelas como parte integrante da cidade. 

E como parte integrante da cidade, é preciso que sejam levados investimentos em saneamento, urbanização, tratamento do lixo. Além de investimentos em educação e geração de emprego. Aí sim o futuro será outro. 

* Coordenador do NEAM/PUC-Rio



Tags: artigo, coluna, coutinho, davison, rio

Compartilhe: