Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Anna Ramalho

Longevidade no Judiciário

Um fenômeno da modernidade está movimentando o meio jurídico. Com o avanço da medicina, vivemos mais e ficamos mais propensos a enfermidades mentais como o Alzheimer e a demência senil. Doenças que geram incapacidade de gerenciamento financeiro, interdições e brigas familiares. Mas muita gente já descobriu o pulo do gato. “Antes mesmo da chegada da terceira idade, é possível registrar suas vontades em escritura declaratória, uma espécie de testamento para o caso de doença mental futura. 

Assim, fica pré-estabelecido quem cuidará de sua pessoa, quem deverá administrar seus bens e, ainda, como deverão os mesmos ser administrados”, explica o advogado especialista em Direito Sucessório e professor da PUC, Mario Roberto Faria. Sinal dos tempos.

Tags: bens, direito, doença, gerenciamento, testamento

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.