Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Anna Ramalho

Bígamas, sim!

Numa época em que as mulheres não escolhiam seus maridos e divórcio era raridade, algumas agiam por contra própria a fim de modificar seus destinos.

A Revista de História da Biblioteca Nacional de março conta a trajetória de mulheres bígamas no Brasil colonial. Entre os casos citados está o de Catarina Morena.

Castelhana casada na Espanha, fugiu para o Brasil com o amante, depois o abandonou e, fingindo viuvez, casou-se com um português. Catarina e muitas outras foram condenadas no tribunal inquisitorial brasileiro.

 

Tags: artes, brasil, catarina morena, colonial, cultura, história

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.