Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Agosto de 2014

Anna Ramalho

Preços no Brasil não encontram paralelo no mundo

Do professar de direito tributário da UFRJ, Sacha Calmon, em conversa com a coluna:

"Não é à toa – e certamente estão cobertos de razão – que as classes A e B viajam de malas vazias para os EUA onde tudo é de 50% a 60% mais barato mesmo com o dólar a R$ 2,50 (paralelo), desprezando a indústria e o comércio no Brasil. Enquanto isso, as classes pobres mantêm o emprego (e a miséria também), sacrificando-se no crediário. É uma covardia. Para ter ideia, com impostos incluídos, vejamos um item bem marcante: o videogame XBox One no Brasil – R$ 2.299 – é o mais caro do mundo. Na Inglaterra custa R$ 1.573, na União Europeia R$ 1.524, no México R$ 1.480, na Nova Zelândia R$ 1.428, na Austrália R$ 1.297, nos Estados Unidos R$ 1.141 e no Canadá R$ 1.093. Sem os impostos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), ele sairia por aproximadamente R$ 1.100."

Tags: compra, Dólar, economia, imposto, país

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.