Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Anna Ramalho

Coma profundo de Schumacher chega a 42 dias

Por causa do clima maluco, tem feito muito frio à noite, mas nevado pouco nas estações de esqui do sul da França. 

Até 29 de dezembro, um dia antes do acidente de Michael Schumacher, em Méribel, o advogado carioca Luis Fernando Matos Jr., esquiador experiente, usou a mesma estação, a Courchevel, e conta que sempre foi advertido pelo monitor profissional de que a prática do esporte só devia ocorrer nas pistas principais, não entre elas, como fez o heptacampeão de Fórmula 1.

Nas pistas recomendadas havia segurança, porque uma neve artificial era bombeada todas as noites por canhões e depois aplainada. Na noite anterior ao acidente de Schumacher nevou de 15 a 20 cm, suficiente apenas para encobrir e disfarçar a ponta das pedras entre pistas. Foi exatamente em uma dessas que o supercampeão se deu mal.

Neste domingo, o coma profundo de Schumacher chega a 42 dias.

Estação de esqui Courchevel, no sul da França
Estação de esqui Courchevel, no sul da França

Tags: acidente, courchevel, esqui, França, piloto

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.