Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Anna Ramalho

Reina a confusão no vôlei brasileiro

A Confederação de Vôlei, tida como exemplo de administração dentro e fora das quadras, passa por um de seus maiores escândalos. Depois da demissão do superintendente geral responsável por um rombo enorme nas contas, o presidente da entidade, Ary Graça, que também preside a Confederação Sul-Americana e a Federação Internacional de Vôlei, teve que abrir mão do cargo e empossou oficialmente o vice, o alagoano Walter Pitombo Laranjeira, mais conhecido como Toroca.

Toroca botou o bloco na rua e montou nova diretoria e comissão de gestão para as competições, com a presença dos ex-jogadores Renan Dal Zotto e Luiz Eymard e do treinador Radames Lattari.

Some-se a isso o descontentamento dos jogadores com  atitudes da entidade, que poderá descambar na criação do "Bom Senso Voleibol Clube", movimento similar ao criado pelos jogadores de futebol para defender seus direitos; e o fracasso da experiência na mudança no sistema de pontuação dos sets, de 25 para 21 pontos.

No vôlei de praia também a insatisfação é geral, com a criação de uma “seleção”, onde os atletas não podem mais escolher os parceiros para as competições oficiais. Agora os treinadores é que definem as parcerias.

No atual sistema, nada garante que a dupla campeã do circuito brasileiro, por exemplo, seja mantida no circuito mundial. Uma confusão!!

Jogadores criariam o "Bom Senso Voleibol Clube" para manifestar insatisfação 
Jogadores criariam o "Bom Senso Voleibol Clube" para manifestar insatisfação 

Tags: ary graça, confederação, radames lattari, toroca, walter pitombo laranjeira

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.